Pular para o conteúdo principal

O inferno da senadora...

Parece que o inferno político em que vive a ex-ministra e senadora Gleisi Hoffmann PT/PR não terá fim tão cedo. Sendo a priimeira figura política denunciada no esquema do chamado "Petrolão", denunciada que foi pelo ex-diretor de abastecimento da Petrobrás Paulo Roberto Costa, sendo que a denuncia foi confirmada pelo doleiro Alberto Youssef. O doleiro afirma que a senadora chegou a receber cerca de 1 milhão de reais do esquema de corrupção da principal empresa brasileira. 
 
Depois de ter perdido a eleição para oo governo do estado do Paraná de formaa tão acachapante e com debandada de muitos aliados e tendo que carregar nos ombros o ônus de ter alguns aliados respondendo por crimes (André Vargas e Eduardo Gaewisk), eis que surge mais uma dor de cabeça para a senadora petista: Gleisi contratou serviços da "Focal Confecção e Comuniicação Visual", empresa de fachada que apareceu no esquema do Mensalão (segundo denuncias do próprio operador do esquema, Marcos Valério).

Há a suspeita de que a Focal funcionasse como uma espécie de lavanderia financeira para o caixa dois de muitas campanhas do Partido dos Trabalhadores. Em 2005, a empresa foi apontada pelo principal operador do Mensalão do PT, Marcos Valério Fernandes de Souza, como uma das destinatárias de recursos do esquema criminoso, por indicação do próprio partido.

Consulta ao site do TSE revela que Gleisi pagou R$ 156.250,00 (15 notas fiscais entre julho e agosto deste ano) para a Focal Confecção e Comunicação. Nesse período, a senadora fez campanha pelo governo do Paraná e foi fragorosamente derrotada. Especialistas em campanhas políticas estranharam a escolha da tal empresa como fornecedora.

Até quando vai durar o inferno político de Gleisi???

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mises: A ação como ato de liberdade!

Caro amigo, para que você se sinta mais confortável com escreverei a seguir, vou pedir que você se acomode bem antes de dar prosseguimento à leitura desta postagem, caso esteja em um ônibus sentado, coloque seu fone de ouvido para abafar o som externo do ambiente; estando de repouso em casa, sugiro uma xícara saborosa de café ou chá para que se atente ainda mais ao texto; na hipótese de estar no trabalho, sugiro que você faça a leitura somente durante o seu horário de almoço, assim poderá ler com calma e certificará um entendimento claro do que foi lido, pois o que pretendo abordar, requer uma concentração grande no momento da leitura.
Após indicações de amigos e de minha enorme curiosidade em pesquisar e aprender, fui "seduzido" com a ideia de conhecer mais a fundo o trabalho do economista austríaco Ludwig von Mises, para poder entender e analisar com vocês aqui no blog, um pouco do pensamento deste autor que vem sendo "descoberto" mais recentemente no Brasil.
Ludwi…

Mobilidade Urbana, um desafio para os novos gestores!

A mobilidade urbana, isto é, as condições oferecidas pelas cidades para garantir a livre circulação de pessoas entre as suas diferentes áreas, é um dos maiores desafios que os próximos gestores municipais enfrentarão em seus próximos mandatos, não somente em Porto Alegre, mas como na grande parte das cidades brasileiras. O crescente número de veículos individuais promove o inchaço do trânsito, dificultando a locomoção ao longo das áreas das grandes cidades, principalmente nas regiões que concentram a maior parte dos serviços e empregos. Além da qualidade dos serviços de transporte público e concessões públicas, onde discussões inócuas acabam por desviar o foco do real problema que atinge o setor, quase que impossibilitando a movimentação nas grandes cidades.

O Brasil, atualmente, vive um drama a respeito dessa questão. A melhoria da renda da população de classe média e baixa, os incentivos promovidos pelo Governo Federal no meio da década passada para o mercado automobilístico (como a …

Quanto mais governo, menos cidadão!

Eu realmente não gosto de reclamar de governo. Acredito que é uma enorme perda de tempo e desgaste fazer isso.  E também acredito que não se trata de uma atitude inteligente. Estou convencido de que é muito mais proveitoso ignorar toda a bagunça e imoralidade e se concentrar em coisas melhores e mais produtivas. Mas não tenho como ficar quieto quando observo alguns disparates que são cometidos por grupos que foram, durante anos, tutelados pelo Estado e que começam a perceber que o pensamento da maioria da população já não aceita mais isso.  Falo de uma parcela de organizações de sociedade ainda se encontra emocionalmente acorrentada ao Estado, e (a menos que você trabalhe para o governo e tenha um alto salário, ou seja um grande empresário que obtenha subsídios e privilégios protecionistas do governo (em ambos os casos, você se deu bem), creio que é válido demonstrar o quanto é danoso esse relacionamento "promiscuo" com o Estado. Dessa forma, vou escrever sobre algo que não re…