Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2015

Educação Multifocal

Semana passada, eu escrevi sobre a questão da educação como uma doutrina de falência do processo de pensar.Muito em função do processo de educação brasileira ser predominantemente baseada na pedagogia doutrinária de Paulo Freire, que tem sido uma grande “arma” utilizada pela esquerda brasileira como parte importante do processo de hegemonia cultural e educacional nos últimos 40 anos. Pois bem, esse texto gerou uma série de opiniões (favoráveis ou não) sobre a precariedade da educação no País, mas vale mencionar que a educação no mundo todo está num processo de falência gravíssimo.
Como parte da categoria, eu acredito que os professores são os profissionais mais importantes da sociedade, mais importantes do que psiquiatras, juízes de Direito, políticos ou generais. Porque os professores trabalham o solo da inteligência para que as crianças e os adolescentes não sejam tratados por psiquiatras, não cometam crimes e sejam julgados por juízes; que aprendam a escolher melhor os seus represen…

A Educação enquanto Doutrina

A influencia da psicanalise tem sido cada vez mais forte dentro da educação, essa visão psicanalítica vem sendo tão fortemente usada que até mesmo os pedagogos esquerdistas vêm adotando essa prática, e sabemos nós o quanto a esquerda tem hegemonia na educação, não somente aqui no Brasil, como em boa parte do mundo ocidental. A esquerda entendeu que conseguiria atingir melhor os seus propósitos, mesmo que em longo prazo, poderiam “fazer a cabeça” dos jovens. Essa visão fez com que grupos que desejam subjugar as massas e incutir neles as suas doutrinas, a perceber que era necessário o domínio de qualquer instituição que pudesse levar esse grupo a dominar e controlar a vida intelectual da sociedade, em particular, as escolas, as universidades e vários segmentos da mídia. Dessa forma, a educação passou a ser um instrumento eminentemente político, seja de grupos partidários ou religiosos.
Querem um exemplo bem marcante disso que estou dizendo? Vamos relembrar um pouco sobre o pedagogo brasi…

O Poder

Travando debates acalorados com amigos e estudando um pouco o cenário político-econômico do País, resolvi escrever um pouco aqui neste espaço sobre "Poder", uma palavrinha muito ouvida e falada nos últimos tempos aqui no Brasil em particular e ouço muitos falarem aos 4 cantos que o "poder vem do dinheiro", "quem tem dinheiro, tem poder". Mas será que essas afirmações são verdadeiras? De fato, somente ter dinheiro é suficiente para se deter o Poder?
Vamos analisar um pouco o inexpressivo capitalismo tupiniquim, o grande empresário brasileiro tem uma "mentalidade de servidor público", eu explico, ele começa a crescer, ganhar algum dinheiro e resolve que não mais vai querer concorrência, não vai querer correr riscos, busca uma "estabilidade" no mercado que não existe e ai começam a combinar preço, formando ai os chamados "carteis" (onde os preços são previamente estabelecidos e não dando ao consumidor a oportunidade de escolher…

"Cinco Muito"

O título desta postagem eu tomei "emprestado" do site do www.globoesporte.com e diz respeito ao resultado do GreNal que acabou agora à pouco na Arena do Grêmio e acabou com uma sonora goleada do time gremista sobre o eterno rival colorado e me fez escrever aqui, mesmo correndo o risco de falar sobre um dos assuntos mais apaixonantes aqui do Rio Grande do Sul.
Minha intenção não é de comentar sobre o jogo em si, o resultado e a euforia dos tricolores pelas ruas de Porto Alegre e pelas ruas do Brasil falam por si, minha ideia é fazer uma analogia entre a intempestiva e burra atitude da diretoria do Internacional (demitir o seu treinador 3 dias antes daquele que é o jogo mais importante do time, seja qual for o campeonato), ouvi do presidente do Internacional dizer em rádios e TVs que a atitude "transferiu" para o adversário (Grêmio) toda a responsabilidade d clássico de hoje.
Pois bem, existe uma horrível cultura neste País de que os dirigentes, sejam eles dirigente…

Conservador

Conversando com alguns amigos hoje, fui surpreendido com uma indagação interessante, ao citar um determinado autor. O mesmo recebeu a alcunha de “desprezível” e o motivo dele receber esse “elogio” se deu, dentre outras coisas, pelo fato do referido autor ser um “Conservador”.
Pois bem, isso me motivou a tecer algumas ideias sobre o termo conservador e expor aqui, para os amigos que me acompanham nesse blog.
Obviamente, essas ideias não são regras fechadas ou que devam ser seguidas na prática política de quem quer que seja apenas são pensamentos desse humilde blogueiro. Na verdade, são apenas alguns critérios de reconhecimento para você, leitor amigo, distinguir, quando ouvir um político, se está diante de um conservador, de um revolucionário ou de um “liberal”, no sentido “brasileiro” do termo hoje em dia (que é uma indecisa mistura dos dois anteriores), como costuma dizer Olavo de Carvalho. Então vamos lá, direto de uma letra extraída dos versos do hino da “Juventude Hitlerista” que di…