quinta-feira, 28 de setembro de 2017

Quem tem...Teme!!!

E ainda tem gente que se espanta com os políticos brasileiros...

A frase a seguir, resume um pouco do que se tornou a nossa republiqueta:“O Código de Ética do Senado Federal dá poderes para a Casa tratar do assunto e afastar o Senador Aécio Neves. Por isso, nós vamos acionar os mecanismos institucionais adequados para que isso seja feito”

A referida frase foi proferida pela senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), presidente nacional do PT. Ontem, o PT considerou “esdrúxula” a decisão do Supremo Tribunal Federal de afastar Aécio de seu mandato e de determinar seu recolhimento noturno.

Ah...a política!!!

Frase do Dia

"ፍቅር ነጻ, ነገር ግን ርካሽ ነው " 

(O amor é gratuito, mas não é barato)

Jesus, o Cristo

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

Entre o Medo e a Covardia

Estava pesquisando um trabalho na internet e me deparei com uma frase do líder indiano Mahatma Gandhi e que me fez refletir bastante, principalmente por algumas coisas que estão acontecendo na minha vida, a frase é a seguinte: "Fear has some use but cowardice not". (O medo tem alguma utilidade, mas a covardia não.)
Pode parecer apenas mais uma frase de almanaque mas na verdade, é uma frase de riqueza indescritível. Gandhi tinha uma enorme autoridade para falar sobre a diferença entre medo e covardia, aliás, é interessante salientar que o medo , segundo Augusto Cury,  é sim muito importante, porque ele atua como um mecanismo de defesa contra situações de perigo. 
O Gandhi foi um sujeito que aplicava na vida o conceito primordial da coragem, que significa "viver com o coração" , Uma pessoa se torna de fato corajosa quando ela vive a partir do seu coração e age APESAR DO MEDO! É muito importante que a gente nunca esqueça de uma coisa: “A coragem não é a ausência do medo, é o ato de agir, apesar do medo”. (a frase não é de minha autoria, eu a li em algum lugar, confesso que não me lembro onde)
O ser humano vive em um eterno entre RAZÃO e EMOÇÃO. Quando somos dominados só pela razão, pensamos ser pequenos demais ou grandes demais, surge um extremo que não dosa todas as possibilidades de uma determinada escolha. Quando somos dominados pela emoção, é muito comum nos paralisarmos, ficarmos nos sentindo impotentes e nos vitimizarmos.
Uma das maiores virtudes dos humanos, é conseguir equilibrar essas duas situações, digamos, ser um "RACIONAL EMOTIVO" (deixando claro que isso é um pensamento meu, não é nenhum estudo com embasamento cientifico, mas bem que poderia ter, não é mesmo?)
Para termos coragem e seguirmos o nosso coração precisamos ter razão suficiente para agirmos de acordo com as nossas possibilidades humanas e emoção o suficiente para acreditarmos no nosso potencial interno. Percebam como isso é o que venho colocado como o tal "Racional Emotivo"?
Voltemos à frase de Gandhi. É fundamental que a gente compreenda o significado da palavra COVARDIA, que vem da palavra francesa "COUARD" que significa “com a cauda abaixada” (interessante esse conceito, não?). Significa aquela pessoa que está “com o rabo entre as pernas”. Está paralisada, está incapaz de fazer qualquer coisa para reverter uma determinada situação. Se encontra completamente dominada pelo medo.
As pessoas covardes quase sempre são aquelas que erram e colocam a culpa por seus erros em alguém (seja no patrão, no amigo, no parceiro). Se erram, já vem logo com milhares de argumentos dizer que errou porque fulano fez isso ou fez aquilo ou pior, afirma que não errou, apenas que é diferente dos demais e que ninguém o compreende por isso.
Se analisarmos bem a origem da palavra e o que estamos conversando aqui é possível entender que existe um certo ar de "infantilidade" em quem é covarde,
Quem consegue se tornar mais "maduro" (um processo extremamente dificil para qualquer ser humano), uma das primeiras coisas que aprende e põe em prática na vida é assumir os erros cometidos como sendo de sua total responsabilidade. E após aprender (mesmo que não seja de uma vez só) com esses erros, não ter medo de continuar vivendo e aberto para novos "erros/aprendizagens"
O interessante é que essa reflexão serve para absolutamente todos os campos da vida, seja ele familiar, amizades, relacionamentos amorosos, dinheiro, trabalho, lazer, espiritualidade… Se eu assumo a responsabilidade comigo mesmo em todas as minhas atitudes, certamente deixarei de ser um covarde e passarei a ser autor da minha própria história (de novo citando Augusto Cury: Ter um "Eu Forte")
O mundo já está cheio de covardes. Estou publicando esse texto para acender uma luzinha em pelo menos alguns dos que estejam lendo. E você? Tem sido corajoso ou tem sido covarde? Está seguindo o caminho do seu coração (coragem), ou está com o rabo entre as pernas (covardia)?
Entenda o exemplo de Gandhi e busque viver com coragem, mesmo que você cometa erros (eles são parte do aprendizado), busque ser feliz e espalhar felicidade e não ser aquela pessoa "chata" que vive dizendo: "Ninguém me entende!". Essa pessoa já parou para pensar se ela se entende?

Pensamento

Do not try to guess what people think of you.
Do your part, give yourself with no fear.
What really matters is what you are.
Even if other people do not care.
Simple attitudes can improve your life.
Do not judge if you do not want to be juged...
A coward is incapable of showing love
This is the privilege of the brave


Mahatma Gandhi

terça-feira, 19 de setembro de 2017

Perguntar será que ofende?

Se o presidente Temer não tem nada a esconder, por que seus assessores diretos estão preocupados com uma possível delação premiada do ex-ministro Geddel Vieira Lima???

Intervenção Militar é Constitucional ou não?

O general do Exército Antônio Hamilton Martins Mourão (sobrenome com histórico de militar "linha dura") causou uma enorme discussão ao defender a possibilidade de intervenção militar no país para conter a corrupção caso as instituições políticas não consigam resolver a situação. 

Disse o "furioso" general: "Ou as instituições solucionam o problema político, pela ação do judiciário, retirando da vida pública esses elementos envolvidos em todos esses ilícitos, ou então nós teremos que impor isso"

Diante de tanta celeuma, eu resolvi pesquisar um pouco sobre o tema para compartilhar aqui no blog, levei em consideração três aspectos que vou explanar para buscar esclarecer algumas questões, são eles:"A Intervenção militar é constitucionalmente possível?", "Existe a possibilidade real dela ocorrer nos dias de hoje?" e "O que está por trás do apoio de parcela da população à essa ideia?"

Vamos ao debate...

A Constituição prevê possibilidade de intervenção militar “constitucional”?

Sim, a Constituição Federal prevê a utilização das forças armadas para intervir em ocasiões extremas, mas não com o objetivo de fazer a tal "Limpeza dos Políticos" (tirar políticos de seus cargos, mediante cassação). Isso sim é GOLPE! Nos artigos 15 e 142 de nossa Carta Magna, está disposto que as forças armadas podem ser acionadas pelo Presidente da República a pedido de qualquer um dos três poderes, visando garantir a lei e a ordem.
Não fica claro qual seriam essas condições (o que pode ser bem temerário), mas existe certo “senso comum” de que se trata de casos de segurança pública, graves distúrbios ou uma ameaça externa. Repito a Constituição não deixa isso claro!
Esses dois artigos costumam ser citados pelos Intervencionistas como sendo a prerrogativa constitucional que sustentaria a tomada do poder pelo militares, isso não procede. A Constituição prevê que, mesmo com as forças armadas acionadas, o poder continuará nas mãos de civis. É importante deixar claro que: As Forças Armadas só podem ser acionadas para GARANTIR a ordem constitucional e não para subvertê-la! No artigo 5º da Constituição é crime inafiançável a ação de militares contra a ordem e a democracia.

 Existe a possibilidade real de ocorrer um golpe militar no país?

Eu não consigo enxergar essa possibilidade na atual conjuntura, porém existem alguns fatores que podem sugerir que essa possibilidade pode ser real e não estou aqui com nenhuma “Teoria da Conspiração”. O General Eduardo Villa Bôas, comandante do Exército, foi muito claro em afirmar que não existe nenhuma articulação ou desejo da corporação de uma intervenção no País.

Apesar dessa declaração do comandante do Exército, a fala do General Mourão dá a entender que o discurso oficial não é bem o que pensam alguns de seus comandantes.
Mourão afirmou que o Exército tem planos “muito bem feitos” para uma intervenção no País. Cabe aqui a pergunta: Que planos são esses? De onde estariam sendo arquitetado esse tipo de ação? E, por fim, porque um General graduado contradiz o seu comandante publicamente (uma visível quebra de hierarquia) e não se viu nenhuma punição a esse oficial?
Por que tanta gente fala na volta do militarismo no Brasil?
Sempre que ocorrem momentos de turbulências políticas, o discurso de que é preciso restaurar a “lei” e a “ordem” voltam a ter eco dentro da sociedade e como as Forças Armadas tem uma estrutura hierárquica, elas acabam representando esse conceito de lei e ordem. Além de sua característica de força, que também reforça o discurso de ordem e cumprimento da lei. Alguns defensores do Intervencionismo acreditam que, com os militares no poder, todos os corruptos iriam para a cadeia, ingênua ilusão!
Existe na percepção de boa parte da sociedade que os militares, em seu período de poder (1964/1985) foram responsáveis por um processo de crescimento e fortalecimento econômico (o “Milagre Brasileiro” ainda ressoa na cabeça de muitos). Existe outro dado importante, de acordo com pesquisas realizadas pelo Datafolha, quase 50% da população confia nas Forças Armadas, essa é uma popularidade que somente Lula e FHC (ambos em seus melhores momentos) conseguiram obter.
Sou um defensor da liberdade, das tradições históricas e culturais brasileiras e da diversidade de pensamentos, respeito todas as formas de pensar (independente se concordo ou não com elas). Acredito que a solução para os principais problemas que vivemos hoje está na sociedade e na sua capacidade de protagonismo. Vivemos no mundo a quarta revolução industrial e não concordo que nacionalismo, controle estatal e força são molas propulsoras de qualquer tipo de crescimento ou desenvolvimento.





Athletico com H Maiúsculo!!!

Só o athleticano sabe o que sentiu na hora H no primeiro dia com a nova/velha grafia do nome. E ele, somente ele merece a grande festa pel...