Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2016

O Poderoso Chefão, uma Obra de Arte!

"Eu acredito na América"

Com essa esperançosa e afirmativa frase se inicia um dos maiores épicos da história do cinema, um filme de proporções inimagináveis e causador de um dos maiores impactos nas estruturas da história da chamada "sétima arte" 
De fato, O Poderoso Chefão é mais do que um filme, chega a ser um divisor de águas no que se refere a grandes mudanças no cenário do mundo cinematográfico. Acabando a chamada "Era de Ouro" de Hollywood e se iniciando uma nova fase de super produções nas mãos de novos diretores mais ousados, entre eles Martin Scorsese e Brian De Palma, esse filme conseguiu seu lugar ao sol no que diz respeito à inovação e tamanho. 
Em um período de disputas acirradas, Francis Ford Coppola conseguiu criar uma obra-prima tão poderosa que em breve ganharia uma continuação tão suprema quanto. (um dos raros casos de uma continuação chegar a se comparar com o filme original). Seu filme é tenso, real, ousado e com um elenco que poucas veze…

Plano de ação

Nesta postagem, vou escrever sobre um tema que considero interessante e muito importante para o desenvolvimento de trabalho e também, por que não, como meta a ser trabalhada em outras diversas áreas da vida humana: Como transformar uma ideia em algo possível, realizável? 
O primeiro passo é estabelecer qual o objetivo que você deseja alcançar, qual a meta que deseja atingir (nada de "Síndrome de Dilma", ou seja, dobrar uma meta sem saber qual é), estabelecido esse objetivo, é necessário que seja realizado um levantamento sobre as condições necessárias para atingir essa meta/objetivo (é quando você identifica a viabilidade de seu objetivo).
Mas qualquer que seja seu objetivo, você não terá sucesso, a menos que tenha uma estratégia e um plano detalhando o caminho a tomar para atingir seu objetivo. Este plano define o que precisa ser feito, quando precisa ser feito, por quem será feito e que recursos serão necessários. O plano de ação é o processo de operacionalização do objetivo…

A escalada da violência no Brasil

Acabo de ler nos noticiários algo que me deixou extremamente estarrecido e preocupado, aliás, deixará qualquer um que tiver acesso à essas informações. Segundo o Anuário Brasileiro de Segurança Pública, do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, o Brasil registrou mais mortes violentas de 2011 a 2015 do que a Síria, país em guerra, em igual período. Pasmem!. 
Foram 278.839 ocorrências de homicídio doloso, latrocínio, lesão corporal seguida de morte e morte decorrente de intervenção policial no Brasil, de janeiro de 2011 a dezembro de 2015, frente a 256.124 mortes violentas na Síria, entre março de 2011 a dezembro de 2015, de acordo com o Observatório de Direitos  Um detalhe muito sério, visto a brutalidade que se assiste sobre o conflito sírio.
Apenas no ano passado, foram mortos violentamente e intencionalmente 58.383 brasileiros, resultado que representa uma pessoa assassinada no país a cada 9 minutos, ou cerca de 160 mortos por dia. Foram 28,6 pessoas vítimas a cada grupo de 100 mil b…

Mentalidade Esquerdista III

Dando prosseguimento aos textos que me comprometi a fazer, divagando sobre o que chamo de "Mentalidade Esquerdista", vou falar sobre um tema que é bem recorrente nesse universo do pensamento de esquerda. Provavelmente essa seja o texto que mais causará indignação por parte dos amigos esquerdistas que tenho (que não são poucos), mas conforme os leitores do blog já sabem, não abro mão de expressar o que penso aqui nesse espaço, e quem tiver algum contraditório a fazer, que o faça através de um outro texto. Pois bem, o assunto que abordarei diz respeito a "Arrogância" do pensamento do militante de esquerda, essa arrogância se faz presença em textos, discursos e ações de um movimento ou de um militante de esquerda, é difícil encontrar um esquerdista que ainda não tenha inventado uma nova "solução" para os "problemas" da sociedade.  Com frequência, tem-se a impressão de que existem mais soluções do que problemas.  A realidade, no entanto, é que vários…

O Concilio de Trento

Os amigos sabem que sou católico e como tal, estudo vários aspectos que considero de extrema importância para o fortalecimento de minha fé e da minha conduta como católico. A Santa Madre possui uma história riquíssima e que durante os últimos anos, vem sendo deturpada e até mesmo inverdades estão sendo propagadas. Em função disso, eu vou passar a escrever um pouco mais sobre a história do Cristianismo. Hoje eu resolvi abordar um fato histórico muito importante, que aconteceu no século XVI e foi de suma importância para os destinos da Santa Madre nos anos que vieram a seguir. Estou me referindo ao "Concílio de Trento", que foi o XIX concílio ecumênico da Igreja, realizado entre os anos de 1545 e 1563. Requisitada por várias partes e por muitas pessoas, dentre as quais o próprio Martinho Lutero por objetivos particulares e para escapar da condenação papal, a convocação de um concílio ecumênico concretizou-se só em 1545, após as malogradas tentativas realizadas pelo papa Paulo II…

Ditadura...o que é isso?

Eu venho observando atentamente os acontecimentos políticos que assolam nosso País nesses últimos anos que porque não, mais acentuadamente em período eleitoral), e percebo muita gente falando bobagens, empregando termos que não tem sentido com o que querem identificar.  Em função disso, resolvi me ater sobre alguns desses temas, visando contribuir de alguma forma para que. aos menos, se não desistirem de algumas bobagens, pelo menos falem sobre elas de uma maneira mais correta. Hoje vou escrever um pouco sobre o que vem a ser uma "Ditadura", palavrinha tão evocada por muitos, mas que poucos, de fato, conhecem o seu verdadeiro e real significado. Ditadurasignifica um sistema político em que uma pessoa ou um grupo de pessoas exercer todos os poderes absolutamente, sem nenhuma lei ou instituição é o limite. (a lei no caso, é exclusivamente a vontade dessa pessoa ou grupo, mesmo que exista um congresso constituído, esse congresso atua sob à vontade de quem detêm o poder ditatorial…

Mentalidade Esquerdista II

Conforme eu escrevi ontem, darei continuidade aos textos falando sobre a tal "mentalidade Esquerdista", nesta postagem de hoje, vou abordar um tema que é recorrente nas discussões envolvendo esquerdistas em suas diversas áreas de atuação, estou me referindo a questão dos "pobres". A esquerda sempre se arrogou a função de protetora dos "pobres". Esta é uma de suas principais reivindicações morais para adquirir poder político, em toda a participação política da esquerda seja em eleição ou em propaganda cultural, a questão de "defensora dos pobres" está sempre presente. Porém, qual a real veracidade desta alegação? É verdade que líderes de esquerda em vários países adotaram políticas assistencialistas que permitem aos pobres viverem mais confortavelmente em sua pobreza, fazendo até alguns inocentes ou mal intencionados a acreditar que esse tipo de política "resolve" todas as mazelas da pobreza.  Mas isso nos leva a uma questão fundamental: …

Mentalidade Esquerdista I

Caro amigo, preste atenção em algumas situações do cotidiano ao seu redor, principalmente no que tange ao aspecto da violência urbana, cada vez mais frequente e próxima de todos que habitamos as grandes cidades brasileiras. Por exemplo: Quando adolescentes criminosos e assassinos são rotulados de "jovens problemáticos" por pessoas que se identificam como sendo de esquerda, isso nos diz mais sobre a mentalidade da própria esquerda do que sobre esses criminosos violentos propriamente ditos.

Raramente há alguma evidência de que os criminosos sejam meramente "problemáticos", e frequentemente abundam evidências de que eles na realidade estão apenas se divertindo enormemente ao cometer seus atos criminosos sobre terceiros. Por que então essa desculpa já arraigada?  Por que rotular adolescentes criminosos de "jovens problemáticos" e supor que maníacos homicidas são meros "doentes"? Pelo menos desde o final do século XVIII a esquerda vem se esforçando para…

Será que a culpa é das Estrelas?

“A culpa é minha e eu boto em quem quiser!”. A frase é da personagem Hommer Simpson, mas carrega consigo um enorme fundo de verdade. Vira-e-mexe colocamos a "culpa" de nossas dificuldades e frustrações nos outros; aliás, isso é quase um vício que dá um certo alívio, parece que diminui o "peso" da decepção.  ou da sensação de fracasso.
Mas por que fazemos isso? Para mostrar o quanto ninguém é perfeito? Ou por que é mais fácil ficar eternamente agarrado à “Terra do Nunca” ou seja, não crescer e assumir as suas responsabilidades?
Segundo a psicóloga Esmeralda Sarracini: “A tendência do ser humano é não querer ver os seus defeitos, nem admitir os seus problemas. De uma forma projetiva jogamos nossos erros para o outro e evitamos olhar para nós mesmos. Quando a pessoa se sente culpada, se acha fraca e, quando faz o movimento de culpar o próximo, sente-se mais forte, mas na realidade está se defendendo”
Para quem concorda com essa afirmação da Dra. Esmeralda, eu me incluo e…