Pular para o conteúdo principal

"Cinco Muito"

O título desta postagem eu tomei "emprestado" do site do www.globoesporte.com e diz respeito ao resultado do GreNal que acabou agora à pouco na Arena do Grêmio e acabou com uma sonora goleada do time gremista sobre o eterno rival colorado e me fez escrever aqui, mesmo correndo o risco de falar sobre um dos assuntos mais apaixonantes aqui do Rio Grande do Sul.

Minha intenção não é de comentar sobre o jogo em si, o resultado e a euforia dos tricolores pelas ruas de Porto Alegre e pelas ruas do Brasil falam por si, minha ideia é fazer uma analogia entre a intempestiva e burra atitude da diretoria do Internacional (demitir o seu treinador 3 dias antes daquele que é o jogo mais importante do time, seja qual for o campeonato), ouvi do presidente do Internacional dizer em rádios e TVs que a atitude "transferiu" para o adversário (Grêmio) toda a responsabilidade d clássico de hoje.

Pois bem, existe uma horrível cultura neste País de que os dirigentes, sejam eles dirigentes do que quer que seja, estão acima de responsabilidades perante aqueles que, como dirigente, são representantes sejam de forma direta ou indireta. A atitude da diretoria do Internacional foi típica deste tipo de situação, o fato de demitir um treinador que, não podemos esquecer, venceu o campeonato regional deste ano e levou o limitado time colorado até as semifinais da Copa Libertadores da América deste ano, recém vencida pelo River Plate, sem explicar nada para os seus representados (torcedores e sócios), a diretoria colorada simplesmente decidiu mexer na estrutura central do time às vésperas da disputa de um clássico tão importante como o GreNal.

Espero que os colorados, depois de esfriarem a cabeça e aguentarem as gozações da segunda feira (que serão muitas), comecem a cobrar de sua diretoria maior transparência, maior respeito e sintonia com o seu sócio e seu torcedor, não se pode mais admitir que um dirigente, seja ele quem for, se coloque acima de qualquer cobrança, de qualquer responsabilidade pelos fracassos assombrosos como o resultado do GreNal de hoje, para o torcedor colorado. e que isso também sirva para todos a nossa sociedade, não é somente no futebol que devemos cobrar ações claras e transparentes dos dirigentes, devemos fazer isso na política, na vida cotidiana, não se admite mais que ninguém, seja quem for, se coloque acima de qualquer cobrança ou responsabilidade, apenas porque alega uma legitimidade" de escolha que não é salvo conduto para se fazer o que bem entender, sem ter que prestar satisfação para seus representados.

Aos gremistas, meus parabéns, comemorem, coloquem para fora sua alegria, mas sempre com responsabilidade e sem exageros. Aos colorados, esfriem a cabeça e aguentem o "Day After" da derrota e cobrem, cobrem mesmo de seus dirigentes a responsabilidade por atos intempestivos, não adianta o presidente do clube Vitório Pfifero vir dizer que "temos que ser homens e assumir a derrota", a questão é planejar e seguir os planejamentos.

Aqueles que não torcem por nenhum dos dois, que fique o alerta para os nossos dirigentes políticos, não adianta somente bravatas, é necessário que se respeite a sociedade e apresentem um planejamento e siga esse planejamento, sem arroubos de "machezas" bem comum em nossos dirigentes.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mises: A ação como ato de liberdade!

Caro amigo, para que você se sinta mais confortável com escreverei a seguir, vou pedir que você se acomode bem antes de dar prosseguimento à leitura desta postagem, caso esteja em um ônibus sentado, coloque seu fone de ouvido para abafar o som externo do ambiente; estando de repouso em casa, sugiro uma xícara saborosa de café ou chá para que se atente ainda mais ao texto; na hipótese de estar no trabalho, sugiro que você faça a leitura somente durante o seu horário de almoço, assim poderá ler com calma e certificará um entendimento claro do que foi lido, pois o que pretendo abordar, requer uma concentração grande no momento da leitura.
Após indicações de amigos e de minha enorme curiosidade em pesquisar e aprender, fui "seduzido" com a ideia de conhecer mais a fundo o trabalho do economista austríaco Ludwig von Mises, para poder entender e analisar com vocês aqui no blog, um pouco do pensamento deste autor que vem sendo "descoberto" mais recentemente no Brasil.
Ludwi…

Mobilidade Urbana, um desafio para os novos gestores!

A mobilidade urbana, isto é, as condições oferecidas pelas cidades para garantir a livre circulação de pessoas entre as suas diferentes áreas, é um dos maiores desafios que os próximos gestores municipais enfrentarão em seus próximos mandatos, não somente em Porto Alegre, mas como na grande parte das cidades brasileiras. O crescente número de veículos individuais promove o inchaço do trânsito, dificultando a locomoção ao longo das áreas das grandes cidades, principalmente nas regiões que concentram a maior parte dos serviços e empregos. Além da qualidade dos serviços de transporte público e concessões públicas, onde discussões inócuas acabam por desviar o foco do real problema que atinge o setor, quase que impossibilitando a movimentação nas grandes cidades.

O Brasil, atualmente, vive um drama a respeito dessa questão. A melhoria da renda da população de classe média e baixa, os incentivos promovidos pelo Governo Federal no meio da década passada para o mercado automobilístico (como a …

Quanto mais governo, menos cidadão!

Eu realmente não gosto de reclamar de governo. Acredito que é uma enorme perda de tempo e desgaste fazer isso.  E também acredito que não se trata de uma atitude inteligente. Estou convencido de que é muito mais proveitoso ignorar toda a bagunça e imoralidade e se concentrar em coisas melhores e mais produtivas. Mas não tenho como ficar quieto quando observo alguns disparates que são cometidos por grupos que foram, durante anos, tutelados pelo Estado e que começam a perceber que o pensamento da maioria da população já não aceita mais isso.  Falo de uma parcela de organizações de sociedade ainda se encontra emocionalmente acorrentada ao Estado, e (a menos que você trabalhe para o governo e tenha um alto salário, ou seja um grande empresário que obtenha subsídios e privilégios protecionistas do governo (em ambos os casos, você se deu bem), creio que é válido demonstrar o quanto é danoso esse relacionamento "promiscuo" com o Estado. Dessa forma, vou escrever sobre algo que não re…