Pular para o conteúdo principal

A Desinformação

A maioria de nós, cidadãos comuns, não temos a minima ideia do conceito de "desinformação", para os incautos, desinformação é, simplesmente, uma informação falsa que é passada apenas para fins de propaganda, ledo engano, essas pessoas não fazem ideia de que desinformação são ações organizadas e complexas, milimetricamente calculadas, ara se atingir á um determinado objetivo, sendo que, segundo Olavo de Carvalho, cerca de noventa por cento desses objetivos não é do influenciar as multidões, mas sim de atingir alvos bem específicos (governantes, grandes empresários, chefes militares, etc), a intenção real é a de levar esses líderes a adotar estratégias que vão de encontro aos seus interesses, sem que os mesos percebam o que está acontecendo.

Aquela "desinformação propaganda", que acreditamos ser a única, trabalha apenas com aqueles dados políticos que estão ao alcance da sociedade, a desinformação mesmo, manipula informações técnicas e extremamente especializadas de extrema importância para as decisões que são tomadas pelos líderes que, têm em suas equipes da mais alta confiança, agentes que trabalhem com esse grau de competência na arte da desinformação.

Mas é possível que alguns leitores deste Blog possam ter o seguinte pensamento: "Espera ai, informações falsas não são usadas com frequência pelos militares e por governos?". Isso é verdade, no próprio livro "A Arte da Guerra", Sun Tzu diz: "A arte da guerra consiste substancialmente do engodo", isso no século V a.C. E a história humana está recheada de exemplos desse tipo de ação; Calúnias contra determinadas etnias e povos já foram construídas, para justificar ações de perseguições á estes grupos. Na Revolução Francesa por exemplo, temos um exemplo muito forte dessa "Indústria de mentiras", durante o período revolucionário francês, muitas inverdades foram disseminadas pelos líderes revolucionários como intuito de justificar os atos de perseguições à aqueles grupos que representavam qualquer tipo de ameaça ao regime emergente.

Mas isso não é desinformação, é apenas um conjunto de informações mentirosas que são orquestradas por um determinado grupo, para que possamos compreender o que é, de fato, desinformação, temos que recorrer ao revolucionário russo Vladimir Lenin, o seu criador. Lenin compreendeu que se pudesse elevar a técnica de informações falsas dos militares para campos mas estratégicos da política, cultura, educação, etc, ou seja, transformar a mentira que era apenas a base da arte guerreira em uma ação mais orquestrada dentro da estrutura governamental, enfim, um instrumento de engenharia social e política e isso acabava transformando toda a convivência social em uma verdadeira "Guerra", uma guerra integral e permanente.

Em 1939, quando Hitler usou pela primeira vez a expressão: "Guerra Total", para identificar um tipo de "Guerra Moderna", um tipo de guerra que não envolvia apenas os políticos e os militares, mas toda a sociedade, ele usou algo que já existia desde 1917, com a Revolução dos soviets, mesmo sem que esses soviets tivessem algum inimigo externo declarado, O governo revolucionário criado por Lenin baseava toda a sua política interna e externa com uma enorme e organizada estratégia de desinformação, tanto que quando ocorreu a famosa "abertura econômica (que foi planejada como etapa dialética de uma estatização total), foi amplamente decantada como uma diminuição da violência revolucionária, não com o intuito apenas de atrair capital estrangeiro, mas principalmente, com o objetivo de "convencer" os países ocidentais a não apoiar qualquer ação contra-revolucionária.

Essa estratégia foi tão bem criada e executada, que vários dissidentes do regime de Moscou, desamparados que ficaram no exílio e iludidos pelos falsos sinais de democracia vindos da Russia, acabaram voltando para o País, o resultado disso a história nos conta, foram fuzilados assim que voltaram. E daqueles que não voltaram, muitos foram perseguidos e assassinados em seu próprio exílio por aquela que haveria de se tornar a agência de Inteligência soviética: a temida KGB. Mas isso tudo aconteceu sem que ninguém percebesse o que estava sendo feito? Por incrível que pareça, as grandes potência ocidentais estavam completamente despreparadas para esse tipo de estratégia, só para que o amigo leitor tenha uma ideia, os Estados Unidos só tiveram um serviço de inteligência para ação externa, um pouco antes da segunda guerra mundial, sendo que todo o processo de infiltração cultural soviética (que foi a cooptação, através do convencimento ou compra das principais referências intelectuais e dentro da classe artística) se inicia nos anos 20, para se ter uma noção da diferença, os americanos só vão conseguir dar uma resposta na mesma proporção com a criação da CIA na década de 50 e, mesmo assim, a ação foi sufocada pela pressão da mídia, alegando que tudo não passa de uma "histeria anti-comunista".

É bom ressaltar que esse tipo de ação de desinformação em grande proporção, só é possível ser executada por um governo totalitário, onde esse governo controle os meios de difusão ou mesmo em organizações clandestinas, onde seus líderes tenham poder total sobre os seus militantes, Qualquer tentativa similar em um ambiente democrático, vai encontrar uma barreira enorme na constante fiscalização da imprensa e do poder legislativo. Portanto, nas democracias ocidentais, não há nenhuma ação equivalente a desinformação soviética. Obviamente que um governo pode fazer uma extensa propaganda mentirosa, mas não tem como fazer desinformação, pois vai faltar para este governo, o controle calculado dos efeitos, que é a principal característica da técnica leninista.

E justamente a liberdade de informação dos países democráticos, sempre foi uma "aliada" fantástica para a desinformação soviética, não somente pelos constantes vazamentos de informações secretas do governo para a imprensa, mas também pela enorme facilidade de espalhar informações falsas pela mídia, sempre ávida por escândalos e denuncias. Um vez, o general soviético Ivan Agayants, que foi por muitos anos chefe do serviço de desinformação da KGB, chegou a declarar: "Se os americanos não tivessem a liberdade de imprensa, eu a inventaria pra eles", tamanha a facilidade de plantar noticias falsas na imprensa norte americana.

Tenho me interessado bastante sobre o tema, me chamou muito a atenção quando comecei a pesquisar sobre isso e perceber o quão devastador foi a ação de desinformação soviética no ocidente e como esse processo perdura até hoje, mesmo com o fim da União Soviética (só para que o amigo leitor possa pensar: Quantas pessoas que estiveram em Cuba e receberam de agentes da KGB, aulas sobre a técnica de desinformação, são hoje, formadoras de opinião aqui no Brasil?). O movimento comunista é algo orgânico, sem ser palpável, o simples fato de muito se alardear que não existe mais essa coisa de "Esquerda x Direita", é uma eficaz técnica de desinformação, com o intuito de desviar o foco do confronto ideológico,para alguns eu posso parecer um lunático que enxerga conspiração em tudo, mas basta se aprofundar um pouco mais nos estudos, sair da "doutrinação ideológica" da educação brasileira, que você começa entender melhor esse processo.

Mas, se estudar é algo maçante e ninguém mais tem "tempo" para isso, vou fazer um gratuito comercial de cinema: Assistam os três filmes da série "Jogos Vorazes" (sim, um filme feito para adolescentes!) e neles, será possível perceber muito bem como funciona o processo de desinformação, analisem principalmente o segundo filme da série e observem como é a ação daqueles que lutam contra o regime que controla a fictícia terra onde se passa a trama e toda a engenharia que é utilizada para que o próprio governo, tome atitudes que acabaram por enfraquece-lo, propiciando um processo de revolta popular.

Lembrando sempre que a desinformação pode ser usada na iniciativa privada também, é mais difícil, porém é possível de ser feita, para beneficiar uma determinada empresa ou um determinado segmento, basta que você consiga colocar pessoas com um treinamento para tal e com uma lealdade que ultrapasse a simples questão financeira, afinal, apesar de muitos não pensarem assim, existe uma escolha que terá que ser feita por aqueles que desejam liderar: Poder ou Dinheiro.(essa escolha, por exemplo, parece ter "atrapalhado algumas figuras públicas brasileiras).

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mises: A ação como ato de liberdade!

Caro amigo, para que você se sinta mais confortável com escreverei a seguir, vou pedir que você se acomode bem antes de dar prosseguimento à leitura desta postagem, caso esteja em um ônibus sentado, coloque seu fone de ouvido para abafar o som externo do ambiente; estando de repouso em casa, sugiro uma xícara saborosa de café ou chá para que se atente ainda mais ao texto; na hipótese de estar no trabalho, sugiro que você faça a leitura somente durante o seu horário de almoço, assim poderá ler com calma e certificará um entendimento claro do que foi lido, pois o que pretendo abordar, requer uma concentração grande no momento da leitura.
Após indicações de amigos e de minha enorme curiosidade em pesquisar e aprender, fui "seduzido" com a ideia de conhecer mais a fundo o trabalho do economista austríaco Ludwig von Mises, para poder entender e analisar com vocês aqui no blog, um pouco do pensamento deste autor que vem sendo "descoberto" mais recentemente no Brasil.
Ludwi…

Mobilidade Urbana, um desafio para os novos gestores!

A mobilidade urbana, isto é, as condições oferecidas pelas cidades para garantir a livre circulação de pessoas entre as suas diferentes áreas, é um dos maiores desafios que os próximos gestores municipais enfrentarão em seus próximos mandatos, não somente em Porto Alegre, mas como na grande parte das cidades brasileiras. O crescente número de veículos individuais promove o inchaço do trânsito, dificultando a locomoção ao longo das áreas das grandes cidades, principalmente nas regiões que concentram a maior parte dos serviços e empregos. Além da qualidade dos serviços de transporte público e concessões públicas, onde discussões inócuas acabam por desviar o foco do real problema que atinge o setor, quase que impossibilitando a movimentação nas grandes cidades.

O Brasil, atualmente, vive um drama a respeito dessa questão. A melhoria da renda da população de classe média e baixa, os incentivos promovidos pelo Governo Federal no meio da década passada para o mercado automobilístico (como a …

Quanto mais governo, menos cidadão!

Eu realmente não gosto de reclamar de governo. Acredito que é uma enorme perda de tempo e desgaste fazer isso.  E também acredito que não se trata de uma atitude inteligente. Estou convencido de que é muito mais proveitoso ignorar toda a bagunça e imoralidade e se concentrar em coisas melhores e mais produtivas. Mas não tenho como ficar quieto quando observo alguns disparates que são cometidos por grupos que foram, durante anos, tutelados pelo Estado e que começam a perceber que o pensamento da maioria da população já não aceita mais isso.  Falo de uma parcela de organizações de sociedade ainda se encontra emocionalmente acorrentada ao Estado, e (a menos que você trabalhe para o governo e tenha um alto salário, ou seja um grande empresário que obtenha subsídios e privilégios protecionistas do governo (em ambos os casos, você se deu bem), creio que é válido demonstrar o quanto é danoso esse relacionamento "promiscuo" com o Estado. Dessa forma, vou escrever sobre algo que não re…