Pular para o conteúdo principal

Debutando...

Meus caros amigos...no dia de ontem, 01 de Julho, completou 15 anos de existência o “Plano Real”, a reforma econômica que revolucionou a maneira de se fazer economia nesse País.

Pela primeira vez na história brasileira, uma medida econômica foi tomada, não com imediatismo, factóides e falta de planejamento. O Plano Real foi um marco na economia e na política brasileira, o então ministro da Fazenda do governo Itamar Franco.

Fernando Henrique Cardoso, tornou-se a grande liderança política do País, tendo se tornado quase que imbatível na sua candidatura a presidência em 94. Mas além de ter levado os Tucanos ao Poder, o Real serviu para dar ao Brasil, ao seu povo e a sua economia, condições de enfrentar de cabeça erguida todo o processo de Globalização que se consolidava no mundo.

Não foi somente a troca da moeda, foi também a certeza de que era possível ao Brasil, ter uma estabilidade econômica. O Real foi tão bem planejado que conseguiu superar as diversas incertezas e as crises econômicas mundiais que foram devastadores para economias emergentes, mas que nosso País conseguiu enfrentar, graças ao forte poder de adaptação que o plano econômico possui e que a cada crise, permitia que os gestores de nossa economia pudessem utilizar de suas alternativas para enfrentar a crise.

Quando o presidente Fernando Henrique Cardoso foi substituído pelo "Molusco Líder", o Real teve seu “batismo de fogo”, por que digo isso? Digo em virtude de nunca antes na história desse País (Como costuma bravatear nosso hilário presidente), um Plano econômico teve força suficiente para enfrentar a mudança de Gestão.

O medo de alguns com os rumos que a economia poderia dar, foi diluído completamente com a capacidade do Plano Real em se adaptar ao contexto político e econômico em 2004. O grande mérito da equipe econômica do "Molusco Líder", foi a de ter a maturidade e a humildade em aceitar que, mesmo com algumas alterações de rumo, o Real deveria ser consolidado e trabalhado para que pudesse dar ao presidente, a solidificação econômica necessária para que ele pudesse utilizar de seu carisma para conseguir manter os elevados índices de popularidade que possui, mesmo após 7 anos de mandato.

Não quero aqui ser simplista em dizer que o "Molusco" somente se sustente por causa do Real, mas que a maneira com que o Plano foi concebido, deu uma enorme força ao atual chefe de estado brasileiro,

Já se passaram 15 anos, uma geração já se formou depois do Real, jovens que não fazem idéia do era um País com inflação galopante de cerca de 3 dígitos mensais! Falta de produtos nas prateleiras, uma economia fragilizada, que não podia nem sequer sonhar em competir com o capital internacional.

Essa realidade mudou, o Brasil se tornou competitivo e viável para investimentos tanto nacionais, quanto internacionais e isso se deve em muito ao alicerce que foi fincado em 01 de julho de 1994, quando foi implantado o Plano Real. Não gostaria de deixar essa data se passar, sem essas pequenas considerações!!!!

Comentários

Antonio Pedro disse…
Thomaz
Independente da cor partidária, o Plano real foi fundamental para o equilibrio do País, ao menos no aspecto econômico!
Thomaz Campos disse…
Antonio...

O que eu quis dizer foi exatamente isso, não falo desse ou daquele partido, e sim do que significou o Real para o Brasil...

Abração!!!!

Postagens mais visitadas deste blog

Mises: A ação como ato de liberdade!

Caro amigo, para que você se sinta mais confortável com escreverei a seguir, vou pedir que você se acomode bem antes de dar prosseguimento à leitura desta postagem, caso esteja em um ônibus sentado, coloque seu fone de ouvido para abafar o som externo do ambiente; estando de repouso em casa, sugiro uma xícara saborosa de café ou chá para que se atente ainda mais ao texto; na hipótese de estar no trabalho, sugiro que você faça a leitura somente durante o seu horário de almoço, assim poderá ler com calma e certificará um entendimento claro do que foi lido, pois o que pretendo abordar, requer uma concentração grande no momento da leitura.
Após indicações de amigos e de minha enorme curiosidade em pesquisar e aprender, fui "seduzido" com a ideia de conhecer mais a fundo o trabalho do economista austríaco Ludwig von Mises, para poder entender e analisar com vocês aqui no blog, um pouco do pensamento deste autor que vem sendo "descoberto" mais recentemente no Brasil.
Ludwi…

Mobilidade Urbana, um desafio para os novos gestores!

A mobilidade urbana, isto é, as condições oferecidas pelas cidades para garantir a livre circulação de pessoas entre as suas diferentes áreas, é um dos maiores desafios que os próximos gestores municipais enfrentarão em seus próximos mandatos, não somente em Porto Alegre, mas como na grande parte das cidades brasileiras. O crescente número de veículos individuais promove o inchaço do trânsito, dificultando a locomoção ao longo das áreas das grandes cidades, principalmente nas regiões que concentram a maior parte dos serviços e empregos. Além da qualidade dos serviços de transporte público e concessões públicas, onde discussões inócuas acabam por desviar o foco do real problema que atinge o setor, quase que impossibilitando a movimentação nas grandes cidades.

O Brasil, atualmente, vive um drama a respeito dessa questão. A melhoria da renda da população de classe média e baixa, os incentivos promovidos pelo Governo Federal no meio da década passada para o mercado automobilístico (como a …

Quanto mais governo, menos cidadão!

Eu realmente não gosto de reclamar de governo. Acredito que é uma enorme perda de tempo e desgaste fazer isso.  E também acredito que não se trata de uma atitude inteligente. Estou convencido de que é muito mais proveitoso ignorar toda a bagunça e imoralidade e se concentrar em coisas melhores e mais produtivas. Mas não tenho como ficar quieto quando observo alguns disparates que são cometidos por grupos que foram, durante anos, tutelados pelo Estado e que começam a perceber que o pensamento da maioria da população já não aceita mais isso.  Falo de uma parcela de organizações de sociedade ainda se encontra emocionalmente acorrentada ao Estado, e (a menos que você trabalhe para o governo e tenha um alto salário, ou seja um grande empresário que obtenha subsídios e privilégios protecionistas do governo (em ambos os casos, você se deu bem), creio que é válido demonstrar o quanto é danoso esse relacionamento "promiscuo" com o Estado. Dessa forma, vou escrever sobre algo que não re…