terça-feira, 24 de março de 2009

Poema...

Ai vai uma bela poesia do moçambicano Mia Couto:

"Poema da Despedida

Não saberei nunca
dizer adeus

Afinal,
só os mortos sabem morrer

Resta ainda tudo,
só nós não podemos ser

Talvez o amor,
neste tempo,
seja ainda cedo

Não é este sossego
que eu queria,
este exílio de tudo,
esta solidão de todos

Agora
não resta de mim
o que seja meu
e quando tento
o magro invento de um sonho
todo o inferno me vem à boca

Nenhuma palavra
alcança o mundo, eu sei
Ainda assim,
escrevo..."

2 comentários:

MARTHA THORMAN VON MADERS disse...

Viver tão somente momentos
Como essas nuvens do céu...
E ganhar, toda a vida,
Inesperiência...esperança...
E a rosa louca dos ventos
presa á copa do chapéu.
Nunca dês um nome a um rio:
Sempre é um outro rio a passar.
Nada jamais continua,
Tudo vai recomeçar!
E sem nenhuma lembrança
Das outras vezes perdidas,
Atiro a rosa do sonho
nas tuas mãos distraídas.

Thomaz Campos disse...

Martha...

Belo poema...muito lindo mesmo!!!

Beijos!!!

Frase do Dia!!!

"Signore, dammi la forza di cambiare ciò che può essere cambiato ... Dimissioni per accettare ciò che non può essere cambiato ... ...