terça-feira, 24 de março de 2009

Poema...

Ai vai uma bela poesia do moçambicano Mia Couto:

"Poema da Despedida

Não saberei nunca
dizer adeus

Afinal,
só os mortos sabem morrer

Resta ainda tudo,
só nós não podemos ser

Talvez o amor,
neste tempo,
seja ainda cedo

Não é este sossego
que eu queria,
este exílio de tudo,
esta solidão de todos

Agora
não resta de mim
o que seja meu
e quando tento
o magro invento de um sonho
todo o inferno me vem à boca

Nenhuma palavra
alcança o mundo, eu sei
Ainda assim,
escrevo..."

2 comentários:

MARTHA THORMAN VON MADERS disse...

Viver tão somente momentos
Como essas nuvens do céu...
E ganhar, toda a vida,
Inesperiência...esperança...
E a rosa louca dos ventos
presa á copa do chapéu.
Nunca dês um nome a um rio:
Sempre é um outro rio a passar.
Nada jamais continua,
Tudo vai recomeçar!
E sem nenhuma lembrança
Das outras vezes perdidas,
Atiro a rosa do sonho
nas tuas mãos distraídas.

Thomaz Campos disse...

Martha...

Belo poema...muito lindo mesmo!!!

Beijos!!!

O Juramento!!!

Meus amigos sabem o quanto me tornei Fã de "Game of Thrones", a espetacular série de TV do canal HBO. E dos inúmeros personagens/l...