Pular para o conteúdo principal

Pensar antes de agir

Como meus amigos leitores deste blog devem saber, trabalho com o material da Escola da Inteligência (um material criado e desenvolvido a partir da Teoria da Inteligência Multifocal do Dr Augusto Cury) e que apresenta-se como uma ferramenta para o gerenciamento e proteção sócio-emocional, principalmente no ambiente escolar. Pois bem, um dos princípios que regem essa ferramenta é fazer com que as pessoas consigam desenvolver a capacidade de controlar e gerenciar melhor as suas emoções e isso é extremamente necessário para que não fiquemos emocionalmente doentes, ainda mais com a sociedade atual.

Fiz esse pequeno prefácio apenas para falar sobre como o "Pensar antes de agir ou reagir" como preconiza a Escola da Inteligência é importantíssimo para que não sejamos vítimas de nossos próprios atos. Vejamos o caso da Patricia Moreira, a moça que foi flagrada pelas câmeras de TV, chamando o goleiro do Santos de "Macaco", na partida entre Grêmio e Santos pela Copa do Brasil na Arena do Grêmio. A vida dessa moça se transformou em um verdadeiro inferno. Além de perder seu emprego, ser processada pelo insulto proferido ao goleiro santista, ela ainda vem sofrendo uma série de ameaças de pessoas tão imbecis quanto ela foi ao xingar o goleiro da equipe paulista (pois intransigência e ignorância, não se combate com mais intransigência e mais ignorância). Seu depoimento hoje foi cercado de muita pressão, onde ela foi xingada de várias formas e está vivendo quase que na clandestinidade em função das ameaças que vem sofrendo.

Pois bem, essas ameaças e agressões que ela vem sofrendo, não são atitudes saudáveis e nem tampouco merecidas por parte dela. O que me remete a escrever esse texto é para alertar à todos nós, o perigo que corremos ao agir sem pensar, ao agir por impulso ou por influência de outros. Não conheço a jovem Patricia, mas pelo que venho acompanhando, ela não me parece ter a exata noção do tamanho da bobagem que fez e nem imaginava que as consequências seriam terríveis para ela. Isso é um triste exemplo, mas que serve para entendermos que não podemos nos deixar levar pelas emoções e pelo "calor" de uma situação de tensão.

A Patricia,  provavelmente, se deixou levar pelos gritos que ouvia e não pensou antes de aderir aos xingamentos se deixou dominar pela emoção, não teve um "EU" forte o suficiente para perceber a gravidade da situação. E agora sofre na pele (que ironia), as consequências de sua falta de gerenciamento emocional.

Reitero que não tenho nenhuma ligação ou simpatia pela jovem gremista e estou longe de justificar a sua atitude, a minha intenção é a de trazer à tona o debate sobre o gerenciamento e a proteção emocional, algo que, estamos necessitados de aprender a conhecer e a utilizar.

Em tempo, não concordo com a punição dada pelo STJD à equipe do Grêmio. A instituição ser punida pela atitude de poucos que, nem representam o clube, é um exagero, uma vaga oportunidade do ilustre tribunal demonstrar a sua "sintonia" com a sociedade. a instituição Grêmio foi construída com a participação, o sangue e o suor de várias etnias e um caso isolado não deve manchar a ceentenária história desse importante clube brasileiro e um dos símbolos do Rio Grande do Sul

Comentários

Karla Kapassi disse…
Muito interessante, esse material sobre inteligência emocional... Nós como seres humanos que somos, deveríamos adotar como fundamental para a boa convivência em sociedade e para nos melhorarmos como pessoas. A mensagem "Pensar antes de agir e reagir", é muito importante realmente refletirmos bem sobre esse tema! Já que infelizmente, vivemos atualmente um cotidiano, onde não respeitamos o espaço nem o direito do próximo, onde pessoas estão se matando no trânsito, nos estádios... Por uma intolerância sem fundamento nenhum...Cadê o respeito e o amor pelo próximo e pela vida? Que o caso da torcedora do Grêmio, sirva sim para refletirmos... Mas que possamos enxergar que isso é só uma pontinha do ice berg, diante de toda intolerância, falta de respeito e violência que o mundo tem vivido...
tia pet disse…
Realmente, Thomaz, nessa sociedade doente que vivemos, num estádio onde xingam juiz de filho da @#$@, o bandeirinha de vi@#@ e todos de tudo, tomar essa menina como bode expiatório beira ao ridículo. Ela cometeu um erro, infelizmente, comum. A falta de preparo emocional e, por que não espiritual, dos nossos jovens, faz com que qualquer junção de pessoas, seja num estádio, show ou manifestações de rua, brutalize e nivele os participantes pelos mais bárbaros instintos humanos. Estamos precisando de autoconhecimento, amor e empatia... Estamos precisando de família à moda antiga.

Postagens mais visitadas deste blog

Mises: A ação como ato de liberdade!

Caro amigo, para que você se sinta mais confortável com escreverei a seguir, vou pedir que você se acomode bem antes de dar prosseguimento à leitura desta postagem, caso esteja em um ônibus sentado, coloque seu fone de ouvido para abafar o som externo do ambiente; estando de repouso em casa, sugiro uma xícara saborosa de café ou chá para que se atente ainda mais ao texto; na hipótese de estar no trabalho, sugiro que você faça a leitura somente durante o seu horário de almoço, assim poderá ler com calma e certificará um entendimento claro do que foi lido, pois o que pretendo abordar, requer uma concentração grande no momento da leitura.
Após indicações de amigos e de minha enorme curiosidade em pesquisar e aprender, fui "seduzido" com a ideia de conhecer mais a fundo o trabalho do economista austríaco Ludwig von Mises, para poder entender e analisar com vocês aqui no blog, um pouco do pensamento deste autor que vem sendo "descoberto" mais recentemente no Brasil.
Ludwi…

Mobilidade Urbana, um desafio para os novos gestores!

A mobilidade urbana, isto é, as condições oferecidas pelas cidades para garantir a livre circulação de pessoas entre as suas diferentes áreas, é um dos maiores desafios que os próximos gestores municipais enfrentarão em seus próximos mandatos, não somente em Porto Alegre, mas como na grande parte das cidades brasileiras. O crescente número de veículos individuais promove o inchaço do trânsito, dificultando a locomoção ao longo das áreas das grandes cidades, principalmente nas regiões que concentram a maior parte dos serviços e empregos. Além da qualidade dos serviços de transporte público e concessões públicas, onde discussões inócuas acabam por desviar o foco do real problema que atinge o setor, quase que impossibilitando a movimentação nas grandes cidades.

O Brasil, atualmente, vive um drama a respeito dessa questão. A melhoria da renda da população de classe média e baixa, os incentivos promovidos pelo Governo Federal no meio da década passada para o mercado automobilístico (como a …

Quanto mais governo, menos cidadão!

Eu realmente não gosto de reclamar de governo. Acredito que é uma enorme perda de tempo e desgaste fazer isso.  E também acredito que não se trata de uma atitude inteligente. Estou convencido de que é muito mais proveitoso ignorar toda a bagunça e imoralidade e se concentrar em coisas melhores e mais produtivas. Mas não tenho como ficar quieto quando observo alguns disparates que são cometidos por grupos que foram, durante anos, tutelados pelo Estado e que começam a perceber que o pensamento da maioria da população já não aceita mais isso.  Falo de uma parcela de organizações de sociedade ainda se encontra emocionalmente acorrentada ao Estado, e (a menos que você trabalhe para o governo e tenha um alto salário, ou seja um grande empresário que obtenha subsídios e privilégios protecionistas do governo (em ambos os casos, você se deu bem), creio que é válido demonstrar o quanto é danoso esse relacionamento "promiscuo" com o Estado. Dessa forma, vou escrever sobre algo que não re…