segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Viva Belém!!!


Quando o capitão-mor português Francisco Caldeira de Castelo Branco fundou o Forte do Presépio, que deu origem à cidade de Belém, no dia 12 de janeiro de 1616, Portugal estava sob a coroa espanhola.

Fora, assim, encarregado, por Felipe II, a dar prosseguimento às conquistas no Novo Mundo.

A Espanha enfrentava concorrência dos franceses pelo equilíbrio político europeu. Ameaçados com a expansão iniciada por Carlos V. com um império de astronômica extensão, os espanhóis não podiam dedicar maiores atenções às terras brasileiras, conquistadas sem dar um tiro sequer, graças à perda da independência de Portugal.

Felipe II, então, ordena que os portugueses, seus novos súditos, levem adiante a missão de conquistar e defender as terras do Novo Mundo.

Eram terras cobiçadas especialmente por franceses, ingleses e holandeses.

Mas, se Cristóvão Colombo, sem o saber, assegurou à Espanha e a Portugal o espaço gigantesco que o Tratado de Tordesilhas previa como parte integrante dos impérios coloniais de Portugal e Espanha, a fundação de Belém garantiu a Portugal, de forma indireta, domínio sobre a região, hoje chamada de Amazônia.

O Novo Mundo, descoberto por Colombo, e o Brasil, em particular, descoberto por Pedro Álvares Cabral, promoveram migração de aventureiros e conquistadores, dispostos a tudo para encontrar as regiões encantadas.

Os espanhóis já vinham tentando descobrir e dominar esse império há alguns anos.

No Natal de 1539, uma expedição espanhola zarpou de Quito, no Peru, com 340 soldados, mais de quatro mil índios e vários conquistadores, seduzidos pelas perspectivas e possibilidades da jornada.

O comandante da expedição era Gonzalo Pizarro, irmão de Francisco.

Depois de enfrentar agruras, a expedição atingiu o vale das grandes águas no curso do Coca, afluente Napo.

Pizarro, desanimado de alcançar seu objetivo, enviou Francisco Orellana em busca de suprimento, já que a fome era grande.

Uma assembleia determinou o prosseguimento da aventura pelo curso fluvial. Orellana foi aclamado chefe...

No dia 12 de janeiro, Castelo Branco, fundou a casa forte a que deu o nome de Presépio, situando-se numa posição estratégica, com vista para dois rios e fácil de ser defendida.

O capitão informou a Alexandre Moura, ao bispo de Lisboa e ao governo de Madri sobre o êxito da missão. Pedro Teixeira foi por terra ao Maranhão dar a notícia e providenciar equipamentos de guerra e alimentos para os integrantes da missão.

E foi assim que surgiu a querida Santa Maria de Belém do Grão Pará...que hoje completa 393 anos e continua com sua importância estratégica, fundamental para a soberania brasileira na região amazônica...

Parabéns Belém!!!

Nenhum comentário:

Gramsci: da Arte à "Pedofilia" 5

Quero pedir escusas para os leitores pela demora em escrever a sequencia do ensaio que estou fazendo sobre a obra de Antonio Gramsci, mas a...