Pular para o conteúdo principal

E começou o show!!!

Com o início do horário eleitoral gratuito na TV para Presidente da República, eu acabei chegando na seguinte conclusão: o Brasil piorou depois da saída do Lula!!! Mesmo com a versão do programa da sua pupila e criatura Dilma Rousseff...

O programa do Aécio fez o que se esperava dele, criticou o governo Dilma dizendo que com a petista no comando, o País piorou e que ela somente se apega ao carisma de Lula para vir pedir mais 4 anos de mandato...era de se esperar essa linha do programa Tucano!!!

No programa petista o próprio Lula (Quase um Deus vermelho) teve que suplicar aos pobres mortais que dessem uma segunda oportunidade para a sua criatura, logo em seguida à saraivada de críticas que o programa tucano disparou antes (Volta da inflação, baixo crescimento, queda nos índices de criação de empregos, falta de gestão da presidência). Lula chegou a dizer que: "O segundo mandato é sempre melhor que o primeiro"

Dilma tentou o tempo inteiro colar a sua gestão com a gestão de seu mentor, mostrando que os índices graúdos de crescimento e de ascensão social devem-se ao processo de "Governo do PT", sem, no entanto, contextualizar as coisas, apenas deixando claro que o mandato é o mesmo de Lula.

Coube também à Lula a tarefa ingrata de buscar diminuir o tamanho do impacto negativo da gestão Dilma tanto no mercado financeiro, como também na classe média brasileira. Os números negativos do governo Dilma (Inflação 6,5% ao ano, crescimento de menos de 1% no mesmo período) foram minimizados pelo ex-presidente como sendo fruto de uma crise internacional (Lembrando que a crise mencionada por Lula foi a de 2008) e não por uma falta de habilidade político/administrativa da pupila.

Como era de se esperar também, Eduardo Campos, que morreu na semana passada, acabou sendo "estrela" dos programas do PSDB e do PT, como sendo um "amigo" de Aécio e como um "filho" para Lula...ambos querendo abocanhar os possíveis "órfãos" do espólio político de Eduardo...

Já o programa do PSB usou seu tempo para prestar homenagens ao seu líder morto, com uma Marina Silva discreta, porém presente. Veremos se o tom dos próximos programas dos socialistas continuará usando a imagem de um Eduardo Campos que cresceu muito no imaginário do eleitor em função de sua trágica morte (Se o PSB decidir por uma chapa Marina/Renata Campos, isso ficará bem evidente).

Foi o que deu ara concluir desse primeiro dia de horário eleitoral, vamos esperar para perceber qual a linha que cada postulante ao cargo vai adotar com o transcorrer da campanha. Campanha esta que ainda promete muitas emoções até o dia 05 de outubro.

Vamos espiar!!!


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mises: A ação como ato de liberdade!

Caro amigo, para que você se sinta mais confortável com escreverei a seguir, vou pedir que você se acomode bem antes de dar prosseguimento à leitura desta postagem, caso esteja em um ônibus sentado, coloque seu fone de ouvido para abafar o som externo do ambiente; estando de repouso em casa, sugiro uma xícara saborosa de café ou chá para que se atente ainda mais ao texto; na hipótese de estar no trabalho, sugiro que você faça a leitura somente durante o seu horário de almoço, assim poderá ler com calma e certificará um entendimento claro do que foi lido, pois o que pretendo abordar, requer uma concentração grande no momento da leitura.
Após indicações de amigos e de minha enorme curiosidade em pesquisar e aprender, fui "seduzido" com a ideia de conhecer mais a fundo o trabalho do economista austríaco Ludwig von Mises, para poder entender e analisar com vocês aqui no blog, um pouco do pensamento deste autor que vem sendo "descoberto" mais recentemente no Brasil.
Ludwi…

Mobilidade Urbana, um desafio para os novos gestores!

A mobilidade urbana, isto é, as condições oferecidas pelas cidades para garantir a livre circulação de pessoas entre as suas diferentes áreas, é um dos maiores desafios que os próximos gestores municipais enfrentarão em seus próximos mandatos, não somente em Porto Alegre, mas como na grande parte das cidades brasileiras. O crescente número de veículos individuais promove o inchaço do trânsito, dificultando a locomoção ao longo das áreas das grandes cidades, principalmente nas regiões que concentram a maior parte dos serviços e empregos. Além da qualidade dos serviços de transporte público e concessões públicas, onde discussões inócuas acabam por desviar o foco do real problema que atinge o setor, quase que impossibilitando a movimentação nas grandes cidades.

O Brasil, atualmente, vive um drama a respeito dessa questão. A melhoria da renda da população de classe média e baixa, os incentivos promovidos pelo Governo Federal no meio da década passada para o mercado automobilístico (como a …

Quanto mais governo, menos cidadão!

Eu realmente não gosto de reclamar de governo. Acredito que é uma enorme perda de tempo e desgaste fazer isso.  E também acredito que não se trata de uma atitude inteligente. Estou convencido de que é muito mais proveitoso ignorar toda a bagunça e imoralidade e se concentrar em coisas melhores e mais produtivas. Mas não tenho como ficar quieto quando observo alguns disparates que são cometidos por grupos que foram, durante anos, tutelados pelo Estado e que começam a perceber que o pensamento da maioria da população já não aceita mais isso.  Falo de uma parcela de organizações de sociedade ainda se encontra emocionalmente acorrentada ao Estado, e (a menos que você trabalhe para o governo e tenha um alto salário, ou seja um grande empresário que obtenha subsídios e privilégios protecionistas do governo (em ambos os casos, você se deu bem), creio que é válido demonstrar o quanto é danoso esse relacionamento "promiscuo" com o Estado. Dessa forma, vou escrever sobre algo que não re…