segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Enfrentando os medos

O medo é parte integrante de nossa vida, é necessário inclusive para que possamos nos proteger de determinadas situações que possam nos prejudicar. Porém, o medo exagerado, ele te aprisiona, atrapalha projetos profissionais, pessoais, familiares e afetivos. O medo que aprisiona nos torna refém dele e acaba fazendo com que tenhamos bloqueios. Verdadeiros "muros" emocionais, que nos impede de conquistar a felicidade.


Ao nascer , nos trazemos conosco o medo de cair, o medo do escuro, o medo do desconhecido. Os demais medos são adquiridos durante a vida. Mas ora bolas, se eles são adquiridos é possível se livrar deles também, desde que a gente enfrente esses medos ou procure ajuda com profissionais especializados, sejam psiquiatras ou psicólogos.


Como eu escrevi antes, existe um medo que é positivo, porque nos alerta e nos protege. Desde muito pequenos recebemos uma carga de informações que muitas vezes nos colocam medos. Os pais utilizam a placa de amedrontar os filhos, porque esta é uma maneira (errada, é verdade), de impedi-los de fazer certas coisas. Eles esquecem que podem estar criando um problema para o resto da vida dos filhos. Este medo poderá acompanhá-los por toda a vida, impedindo-os de serem bem sucedidos. Chegando, inclusive, a causar traumas irreversíveis.



Algumas crianças adquirem medos diversos como: medo do escuro, medo de relâmpago, medo da policia, medo de ficarem sozinhas, medo de serem abandonadas, medo do castigo enfim coisas que os pais acabam contribuindo muito para que aconteça. O resultado não será positivo. Muitos destes medos atrapalharão muito o progresso e o crescimento dos filhos.

Há ainda o medo que muitas pessoas têm da morte. É um medo irracional que impede uma vida tranquila. O princípio da vida é nascer, crescer e se desenvolver, e morrer. É preciso aceitar este fato e procurar viver bem enquanto tiver vida. De nada adianta ter pavor da morte e viver infeliz. É sofrer por antecipação. Para aqueles que vivem bem, que praticam a caridade e respeitam o seu semelhante este medo é infundado.

O medo traz insegurança e impede a espontaneidade. No trabalho é comum perceber o colaborador que é tímido e inseguro, por causa de seus medos. Deixa de ser proativo porque não acredita que suas ideias possam ser aceitas. Há uma negação das suas próprias virtudes. Esquecem eles que foram contratados para contribuir, para transformar e para evoluir. Mas para que isto aconteça é preciso que sejam ousados e confiantes.

Este artigo visa contribuir com todos aqueles que já identificaram que o medo é o que atrapalha as suas vidas. Não esperem mais. Procurem um profissional que possa ajudá-los a se libertarem deste terrível inimigo.

Eu prefiro acreditar que, independente do medo, se ele foi adquirido por experiências ruins que tivemos, ele também pode ser superado com coragem, com vontade e com determinação. Não é fácil, mas é necessário. Caso deixemos o medo nos dominar, poderemos abrir mão de buscarmos ser felizes, por ter medo de tentar essa felicidade. Eu tenho muitos medos, mas busco enfrenta-los todos os dias para não me tornar refém desse sentimento.

Nenhum comentário:

Parada!!!

Amigos do blog..devidos a questões pessoais, vou dar uma parada nas postagens aqui da página...quem sabe eu volte a escrever em breve!!!