Pular para o conteúdo principal

Sócrates, um craque!

Vou aproveitar esse espaço para falar um pouco (peço humildemente desculpas aos estudiosos pela ousadia, principalmente ao meu irmão, que conhece muito mais sobre a personagem retratada  do que este ambicioso blogueiro), mas acredito na importância de Sócrates para a sociedade ocidental e como eu sei que por muito tempo nos foi privada a oportunidade de estudarmos os clássicos na academia, resolvi abordar o tema.

Elevado pelo seu discípulo Platão como o responsável por colocar filosofia em uma direção mais ética e politica, Sócrates foi um filósofo de tamanha relevância que a história pensamento humano ocidental, dividindo a filosofia clássica em "pré-socráticos" e "pós-socráticos", pois até mesmo o que sabemos sobre Sócrates, devemos aos escritos de Platão.

A dificuldade em se estudar Sócrates, além da falta de outras referências bibliográficas, reside naquilo que se convencionou chamar de: "Problema Socrático". Como nós sabemos, Sócrates foi o principal personagem nos diálogos de Platão, sendo referido também nos trabalhos de Aristófanes, Xenofonte e Aristóteles. 

Mesmo sem registros históricos que comprovem sua existência física, Sócrates é considerado um personagem histórico genuíno, tendo vivido na Grécia do século IV a.C., porém todas as fontes que citam o nome de Sócrates são textos dramáticos ou filosóficos, não havendo qualquer texto diretamente histórico referindo-se a época em que Sócrates viveu e a sua pessoa, seus hábitos e até mesmo a sua existência.

Ainda, os textos filosóficos possuem contradições entre si, tornando difícil distinguir a posição e pessoa de Sócrates, daquilo que o autor gostaria de representar com seu próprio trabalho, desde questões mais densamente filosóficas até questões mais cotidianas, por exemplo, Platão afirma categoricamente que Sócrates jamais aceitaria dinheiro para ensinar, enquanto Xenofonte, outro discípulo de Sócrates, afirma que o filósofo era pago por este trabalho. 

Mesmo dentro do contexto dos diálogos de Platão, considerados a mais completa fonte de informação sobre Sócrates, existem contradições nas posições atribuídas a Sócrates, geralmente associadas com o desenvolvimento filosófico do próprio Platão. Desta forma, a tradição filosófica atual considera que compreender e clarificar a real posição de Sócrates como filósofo, nas principais questões da disciplina, é aparentemente impossível, sendo o Problema de Sócrates classificado como insolúvel. 

Não obstante, ao compararmos as fontes, algumas conclusões acerca da posição de Sócrates podem ser extraídas e mesmo que não sejam historicamente precisas, ao menos oferecem uma posição consistente para que se possa estudar a importância deste pensador para o desenvolvimento da filosofia ocidental.

É atribuído à Sócrates a criação do chamado "Método Socrático" ma técnica de ensino e investigação, que utiliza uma forma de inquisição dialética. Diferente de debates direcionados a persuadir o opositor, o "Método Socrático" manifesta a oposição de Sócrates a retórica como uma forma de arte que visa agradar os ouvintes e também a oratória, que convence por vias emocionais, não requerendo lógica ou prova. (espero ter descrito de forma simples e correta, o método utilizado pelo grande mestre)

Seu método era o de dividir o problema em questão, a matéria do debate, em questões menores, que em tese poderiam ser respondidas com maior facilidade ou ao menos levariam o interlocutor a olhar o problema por todos os ângulos, entendendo as possibilidades lógicas da questão, eliminando as contradições e, em ultima análise, gradualmente levando ambos a solução do problema em questão. 

Esse é um método negativo de eliminação de hipótese, no qual uma hipótese é levantada, questionada e busca-se demonstrar que ela leva a contradições, caso em que seria inaceitável. Caso não seja possível demonstrar que tal hipótese leva a contradições, a mesma deverá ser considerada um candidato aceitável à posição de verdade. Meio complicado para que alguns leigos possam compreender, mas extremamente eficaz no que diz respeito a sua utilização na prática (sugiro a leitura do julgamento de Sócrates).

Aristóteles disse que Sócrates foi primeiro filósofo a buscar definições universais para as virtudes morais, tendo contribuído para as área da epistemologia, procurando entender a extensão do conhecimento humano; política, em que defendia o filósofo como governante ideal, sendo interpretado por alguns estudiosos como um crítico da democracia; ética, em que defendia que a melhor forma de viver é focar na virtude; entre outros temas.

A complexidade dos temas abordados por Sócrates vai além do senso comum, ele buscou abordar temas que eram apenas superficialmente tratados e nem sempre com a devida importância e dedicação como ele fez. Mesmo tendo que levar suas convicções e pensamentos até as últimas consequências. Alguns consideram que o real motivo que levou Sócrates à julgamento e posterior execução, não estaria relacionado com a sua "corrupção da mente" de jovens e a não crença nos Deuses do Estado e sim, na sua crítica mordaz à democracia de Atenas, em um período de extrema turbulência na cidade-estado.

Eu apenas fiz uma resumida explanação sobre a figura de Sócrates, em função de uma conversa que tive recentemente sobre ética e moral e também para despertar a curiosidade dos amigos em buscar conhecer mais do pensamento socrático e por conseguinte, do pensamento filosófico clássico. Chega de "estudar" filosofia, sem buscar estudar os clássicos e buscar assimilar seu pensamento e compreender a atualidade dessas ideias, mesmo tendo passado milênios de quando foram produzidos.

Estudando com prazer e seriedade, podemos perceber, sem muito esforço, o quanto Sócrates foi, de fato, um craque!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mises: A ação como ato de liberdade!

Caro amigo, para que você se sinta mais confortável com escreverei a seguir, vou pedir que você se acomode bem antes de dar prosseguimento à leitura desta postagem, caso esteja em um ônibus sentado, coloque seu fone de ouvido para abafar o som externo do ambiente; estando de repouso em casa, sugiro uma xícara saborosa de café ou chá para que se atente ainda mais ao texto; na hipótese de estar no trabalho, sugiro que você faça a leitura somente durante o seu horário de almoço, assim poderá ler com calma e certificará um entendimento claro do que foi lido, pois o que pretendo abordar, requer uma concentração grande no momento da leitura.
Após indicações de amigos e de minha enorme curiosidade em pesquisar e aprender, fui "seduzido" com a ideia de conhecer mais a fundo o trabalho do economista austríaco Ludwig von Mises, para poder entender e analisar com vocês aqui no blog, um pouco do pensamento deste autor que vem sendo "descoberto" mais recentemente no Brasil.
Ludwi…

Mobilidade Urbana, um desafio para os novos gestores!

A mobilidade urbana, isto é, as condições oferecidas pelas cidades para garantir a livre circulação de pessoas entre as suas diferentes áreas, é um dos maiores desafios que os próximos gestores municipais enfrentarão em seus próximos mandatos, não somente em Porto Alegre, mas como na grande parte das cidades brasileiras. O crescente número de veículos individuais promove o inchaço do trânsito, dificultando a locomoção ao longo das áreas das grandes cidades, principalmente nas regiões que concentram a maior parte dos serviços e empregos. Além da qualidade dos serviços de transporte público e concessões públicas, onde discussões inócuas acabam por desviar o foco do real problema que atinge o setor, quase que impossibilitando a movimentação nas grandes cidades.

O Brasil, atualmente, vive um drama a respeito dessa questão. A melhoria da renda da população de classe média e baixa, os incentivos promovidos pelo Governo Federal no meio da década passada para o mercado automobilístico (como a …

Quanto mais governo, menos cidadão!

Eu realmente não gosto de reclamar de governo. Acredito que é uma enorme perda de tempo e desgaste fazer isso.  E também acredito que não se trata de uma atitude inteligente. Estou convencido de que é muito mais proveitoso ignorar toda a bagunça e imoralidade e se concentrar em coisas melhores e mais produtivas. Mas não tenho como ficar quieto quando observo alguns disparates que são cometidos por grupos que foram, durante anos, tutelados pelo Estado e que começam a perceber que o pensamento da maioria da população já não aceita mais isso.  Falo de uma parcela de organizações de sociedade ainda se encontra emocionalmente acorrentada ao Estado, e (a menos que você trabalhe para o governo e tenha um alto salário, ou seja um grande empresário que obtenha subsídios e privilégios protecionistas do governo (em ambos os casos, você se deu bem), creio que é válido demonstrar o quanto é danoso esse relacionamento "promiscuo" com o Estado. Dessa forma, vou escrever sobre algo que não re…