sexta-feira, 17 de julho de 2015

O começo do fim...

Eu, na qualidade de observador da atual conjuntura política, começo a visualizar o começo do fim da atual conexão de forças políticas hegemônicas que governam o Brasil há 12 anos, a aliança entre PT e PMDB começa a dar sinais de que seus dias chegam ao fim, o gesto político do acuado presidente da câmara Eduardo Cunha em romper, de acordo com nota do partido, de forma pessoal com a presidente Dilma, é o primeiro passo de uma série de outros que virão e que decretarão o fim da "sagrada aliança" governista.

Ao tomar a postura que tomou, em função das denuncias que vazaram da operação "Lava a Jato", Eduardo Cunha explicitou um descontentamento que existe dentro de uma grande parcela do PMDB e que, em função de várias costuras e pendências até regionais, impede que o partido saia de vez da base do governo (esse descontentamento está cada vez mais visível) e não duvidem os amigos leitores que Cunha não tem armas potentes para incomodar, e muito, o governo, vide as 3 CPIs que já foram autorizadas pelo presidente da câmara e que serão instauradas na volta do recesso parlamentar em agosto (dentre essas CPIs estão a CPI do BNDES e dos Fundos de Pensão das estatais, CPIs essas que vão causar um estrago enorme na já desgastada imagem do governo Dilma).

Esse é um dos pontos que Cunha vai utilizar, além das diversas votações que podem incomodar o governo federal, que já mostrou ter, cada vez menos, força política no congresso, a reação do Planalto foi previsível demais, o vice líder do governo na câmara pediu o afastamento do presidente da casa até que as denuncias contra ele sejam apuradas pela justiça, essa manobra do governo soa como piada, partindo do principio que Cunha controla as forças e as condições de administração da Casa e que já mostrou que sabe usar isso muito bem, até agora, os passos de Cunha (gostem ou não os seus adversários) estão se mostrando bem superiores aos do governo Dilma.

Antes que os esquerdistas fundamentalistas queiram o meu escalpo, quero dizer que Eduardo Cunha representa um setor da extrema direita da qual eu não tenho nenhum apreço, essa extrema direita é tão intervencionista quanto a esquerda e portanto não são dignas de nenhum tipo de defesa da minha parte, quero, como todo cidadão de bem desse país que todos aqueles que tiveram algum tipo de participação em corrupção, sejam investigados e, se comprovadas as denúncias, que sejam severamente punidos (punição para mim, maior que cadeia, é a perda dos direitos políticos e devolução do valor roubado), mas não consigo deixar de ver que os dias para esse governo estão contados e cabe à sociedade, sacramentar isso de uma vez por todas.

Tudo isso acontecendo e eu me pergunto: Onde está a oposição???

2 comentários:

Ricardo Amaral disse...

Muito bom, penso na mesma direção, mas acredito que tudo acabará em pizza, infelizmente!

Thomaz Campos disse...

Ricardo, meu amigo...

Bom ver você por aqui, é muito legal contar com a leitura dos amigos, ainda mais aqueles que fazem falta...quanto a sua opinião, como sempre, a respeito e acredito ser um argumento lógico o seu, porém, quero te convidar a observar algumas cosas (pequenas ainda, é verdade)que começam a acontecer na sociedade...

Pode ser, e é, apenas um começo, mas é melhor do que nada...

Um grande abraço!!!

Todos "amam" Bolsonaro

Estou acompanhando as movimentações dos chamados "Presidenciáveis" ou dos pretendentes a tal para as eleições de 2018. Fora Lula ...