Pular para o conteúdo principal

O começo do fim...

Eu, na qualidade de observador da atual conjuntura política, começo a visualizar o começo do fim da atual conexão de forças políticas hegemônicas que governam o Brasil há 12 anos, a aliança entre PT e PMDB começa a dar sinais de que seus dias chegam ao fim, o gesto político do acuado presidente da câmara Eduardo Cunha em romper, de acordo com nota do partido, de forma pessoal com a presidente Dilma, é o primeiro passo de uma série de outros que virão e que decretarão o fim da "sagrada aliança" governista.

Ao tomar a postura que tomou, em função das denuncias que vazaram da operação "Lava a Jato", Eduardo Cunha explicitou um descontentamento que existe dentro de uma grande parcela do PMDB e que, em função de várias costuras e pendências até regionais, impede que o partido saia de vez da base do governo (esse descontentamento está cada vez mais visível) e não duvidem os amigos leitores que Cunha não tem armas potentes para incomodar, e muito, o governo, vide as 3 CPIs que já foram autorizadas pelo presidente da câmara e que serão instauradas na volta do recesso parlamentar em agosto (dentre essas CPIs estão a CPI do BNDES e dos Fundos de Pensão das estatais, CPIs essas que vão causar um estrago enorme na já desgastada imagem do governo Dilma).

Esse é um dos pontos que Cunha vai utilizar, além das diversas votações que podem incomodar o governo federal, que já mostrou ter, cada vez menos, força política no congresso, a reação do Planalto foi previsível demais, o vice líder do governo na câmara pediu o afastamento do presidente da casa até que as denuncias contra ele sejam apuradas pela justiça, essa manobra do governo soa como piada, partindo do principio que Cunha controla as forças e as condições de administração da Casa e que já mostrou que sabe usar isso muito bem, até agora, os passos de Cunha (gostem ou não os seus adversários) estão se mostrando bem superiores aos do governo Dilma.

Antes que os esquerdistas fundamentalistas queiram o meu escalpo, quero dizer que Eduardo Cunha representa um setor da extrema direita da qual eu não tenho nenhum apreço, essa extrema direita é tão intervencionista quanto a esquerda e portanto não são dignas de nenhum tipo de defesa da minha parte, quero, como todo cidadão de bem desse país que todos aqueles que tiveram algum tipo de participação em corrupção, sejam investigados e, se comprovadas as denúncias, que sejam severamente punidos (punição para mim, maior que cadeia, é a perda dos direitos políticos e devolução do valor roubado), mas não consigo deixar de ver que os dias para esse governo estão contados e cabe à sociedade, sacramentar isso de uma vez por todas.

Tudo isso acontecendo e eu me pergunto: Onde está a oposição???

Comentários

Ricardo Amaral disse…
Muito bom, penso na mesma direção, mas acredito que tudo acabará em pizza, infelizmente!
Thomaz Campos disse…
Ricardo, meu amigo...

Bom ver você por aqui, é muito legal contar com a leitura dos amigos, ainda mais aqueles que fazem falta...quanto a sua opinião, como sempre, a respeito e acredito ser um argumento lógico o seu, porém, quero te convidar a observar algumas cosas (pequenas ainda, é verdade)que começam a acontecer na sociedade...

Pode ser, e é, apenas um começo, mas é melhor do que nada...

Um grande abraço!!!

Postagens mais visitadas deste blog

Mises: A ação como ato de liberdade!

Caro amigo, para que você se sinta mais confortável com escreverei a seguir, vou pedir que você se acomode bem antes de dar prosseguimento à leitura desta postagem, caso esteja em um ônibus sentado, coloque seu fone de ouvido para abafar o som externo do ambiente; estando de repouso em casa, sugiro uma xícara saborosa de café ou chá para que se atente ainda mais ao texto; na hipótese de estar no trabalho, sugiro que você faça a leitura somente durante o seu horário de almoço, assim poderá ler com calma e certificará um entendimento claro do que foi lido, pois o que pretendo abordar, requer uma concentração grande no momento da leitura.
Após indicações de amigos e de minha enorme curiosidade em pesquisar e aprender, fui "seduzido" com a ideia de conhecer mais a fundo o trabalho do economista austríaco Ludwig von Mises, para poder entender e analisar com vocês aqui no blog, um pouco do pensamento deste autor que vem sendo "descoberto" mais recentemente no Brasil.
Ludwi…

Mobilidade Urbana, um desafio para os novos gestores!

A mobilidade urbana, isto é, as condições oferecidas pelas cidades para garantir a livre circulação de pessoas entre as suas diferentes áreas, é um dos maiores desafios que os próximos gestores municipais enfrentarão em seus próximos mandatos, não somente em Porto Alegre, mas como na grande parte das cidades brasileiras. O crescente número de veículos individuais promove o inchaço do trânsito, dificultando a locomoção ao longo das áreas das grandes cidades, principalmente nas regiões que concentram a maior parte dos serviços e empregos. Além da qualidade dos serviços de transporte público e concessões públicas, onde discussões inócuas acabam por desviar o foco do real problema que atinge o setor, quase que impossibilitando a movimentação nas grandes cidades.

O Brasil, atualmente, vive um drama a respeito dessa questão. A melhoria da renda da população de classe média e baixa, os incentivos promovidos pelo Governo Federal no meio da década passada para o mercado automobilístico (como a …

Quanto mais governo, menos cidadão!

Eu realmente não gosto de reclamar de governo. Acredito que é uma enorme perda de tempo e desgaste fazer isso.  E também acredito que não se trata de uma atitude inteligente. Estou convencido de que é muito mais proveitoso ignorar toda a bagunça e imoralidade e se concentrar em coisas melhores e mais produtivas. Mas não tenho como ficar quieto quando observo alguns disparates que são cometidos por grupos que foram, durante anos, tutelados pelo Estado e que começam a perceber que o pensamento da maioria da população já não aceita mais isso.  Falo de uma parcela de organizações de sociedade ainda se encontra emocionalmente acorrentada ao Estado, e (a menos que você trabalhe para o governo e tenha um alto salário, ou seja um grande empresário que obtenha subsídios e privilégios protecionistas do governo (em ambos os casos, você se deu bem), creio que é válido demonstrar o quanto é danoso esse relacionamento "promiscuo" com o Estado. Dessa forma, vou escrever sobre algo que não re…