Pular para o conteúdo principal

Saudações à quem tem coragem!!!

Participando de uma salutar discussão sobre conjuntura política, confesso ter ficado estarrecido com comentários oriundos de membros da oposição, que mostraram alguns argumentos que, em minha modesta opinião, me parecem mais de situação do que de oposição...

Senão vejamos:

Foi feito um calculo sobre a quantidade de parlamentares do congresso nacional que seriam necessários para que houvesse uma aprovação do impeachment da presidente Dilma (Detalhe, não discordo da soma de números, 342 deputados devem assinar um pedido de afastamento da presidente e a oposição só tem 102 desses votos e que, mesmo com os 67 deputados do PMDB apoiando, ainda faltariam votos para cassar Dilma), a analise apenas transforma algo ilógico, em uma lógica matemática que é variável em função dos acontecimentos que se desdobram à revelia da vontade dos atores envolvidos.

Nenhum político vai de encontro ao seu eleitorado e, uma presidente com 9% de aprovação popular, fica bastante clara qual é a posição desses eleitores, e mais, o governo federal está sem nenhuma articulação política que se preze, seus interlocutores não possuem a legitimidade necessária para poder defender a presidente de um ataque como esse que se avizinha.

Tem mais, foi colocado em pauta que, em um eventual impeachment de Dilma, o País entraria em um abismo tão grande, que traria para a oposição todo o ônus de uma política austera de reconstrução do País e que acabaria por propiciar um retorno triunfal de Lula em 2018.

Ora, caros leitores deste humilde Blog, se a oposição não fizer o seu papel que é o de SER oposição e ficar preocupada com o "status quo", é possível que nem haja 2018!!! Explico, a oposição, em sua covardia política', já perdeu uma enorme possibilidade de tirar a presidente do Poder quando 2 milhões de pessoas foram, de forma espontânea, às ruas no dia 15 de março deste ano (Com menos gente que isso mobilizada, Lênin fez uma Revolução), essa oportunidade foi desperdiçada, porém, tanto oposição quanto governo ainda não assimilaram direito o que aconteceu...

A população quer um basta e não um basta no PT ou em Dilma, mas um basta nesse "status quo" que a oposição tanto quer preservar. Se, os líderes oposicionistas não tomarem à frente nesse processo e assumam o que as ruas estão exigindo, tanto oposição quanto governo sairão desse processo sem nenhuma credibilidade e isso não é nada bom para o País.

Existem setores da oposição que morrem de medo dos "formadores de opinião" da mídia, uns, no máximo 50 figuras que, é postos chaves, acabam por "definir" o que deve ser "pensado" pela sociedade, em vez disso, a oposição é que deve pautar esses "formadores de opinião", em política, vence aquele que consegue ficar de pé, enganam-se aqueles que pensam que somente o dinheiro vence na política, isso é errado, a história mostra isso (Ou Mao tinha dinheiro para fazer o que fez?), em política, vence aquele que tem uma massa que esteja disposta a morrer por ele (O PT já teve isso, hoje, essa estrutura está deteriorada e, ao buscar se afastar de Dilma, Lula já percebeu isso).

Falta somente a oposição fazer o seu papel ou a história se encarregará de cuidar de suas biografias!!!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mises: A ação como ato de liberdade!

Caro amigo, para que você se sinta mais confortável com escreverei a seguir, vou pedir que você se acomode bem antes de dar prosseguimento à leitura desta postagem, caso esteja em um ônibus sentado, coloque seu fone de ouvido para abafar o som externo do ambiente; estando de repouso em casa, sugiro uma xícara saborosa de café ou chá para que se atente ainda mais ao texto; na hipótese de estar no trabalho, sugiro que você faça a leitura somente durante o seu horário de almoço, assim poderá ler com calma e certificará um entendimento claro do que foi lido, pois o que pretendo abordar, requer uma concentração grande no momento da leitura.
Após indicações de amigos e de minha enorme curiosidade em pesquisar e aprender, fui "seduzido" com a ideia de conhecer mais a fundo o trabalho do economista austríaco Ludwig von Mises, para poder entender e analisar com vocês aqui no blog, um pouco do pensamento deste autor que vem sendo "descoberto" mais recentemente no Brasil.
Ludwi…

Mobilidade Urbana, um desafio para os novos gestores!

A mobilidade urbana, isto é, as condições oferecidas pelas cidades para garantir a livre circulação de pessoas entre as suas diferentes áreas, é um dos maiores desafios que os próximos gestores municipais enfrentarão em seus próximos mandatos, não somente em Porto Alegre, mas como na grande parte das cidades brasileiras. O crescente número de veículos individuais promove o inchaço do trânsito, dificultando a locomoção ao longo das áreas das grandes cidades, principalmente nas regiões que concentram a maior parte dos serviços e empregos. Além da qualidade dos serviços de transporte público e concessões públicas, onde discussões inócuas acabam por desviar o foco do real problema que atinge o setor, quase que impossibilitando a movimentação nas grandes cidades.

O Brasil, atualmente, vive um drama a respeito dessa questão. A melhoria da renda da população de classe média e baixa, os incentivos promovidos pelo Governo Federal no meio da década passada para o mercado automobilístico (como a …

Quanto mais governo, menos cidadão!

Eu realmente não gosto de reclamar de governo. Acredito que é uma enorme perda de tempo e desgaste fazer isso.  E também acredito que não se trata de uma atitude inteligente. Estou convencido de que é muito mais proveitoso ignorar toda a bagunça e imoralidade e se concentrar em coisas melhores e mais produtivas. Mas não tenho como ficar quieto quando observo alguns disparates que são cometidos por grupos que foram, durante anos, tutelados pelo Estado e que começam a perceber que o pensamento da maioria da população já não aceita mais isso.  Falo de uma parcela de organizações de sociedade ainda se encontra emocionalmente acorrentada ao Estado, e (a menos que você trabalhe para o governo e tenha um alto salário, ou seja um grande empresário que obtenha subsídios e privilégios protecionistas do governo (em ambos os casos, você se deu bem), creio que é válido demonstrar o quanto é danoso esse relacionamento "promiscuo" com o Estado. Dessa forma, vou escrever sobre algo que não re…