Pular para o conteúdo principal

O Ruralzão de vento em popa...

E começou a emoção do campeonato paranaense 2013, cheio de mais dos mesmos. Os times da capital tentando usar o campeonato da forma que melhor lhe convier e os do interior (que começam as suas preparações bem antes) com um inicio arrasador, cheio de vontade, mas que no final (com raras exceções), acabam sucumbindo frente ao diferencial técnico, físico e estrutural dos grandes da capital.

Esses grandes estão focados em seus interesses, o Atlético abre mão e esnoba o campeonato local, usa seu time sub 23 na disputa,enquanto o seu time considerado titular excursiona pela Europa, e preparação para as competições nacionais (copa do Brasil e campeonato brasileiro), além disso, o rubro negro, através de determinação de sua diretoria, não permite que a imprensa tenha acesso as noticias do clube durante os trabalhos da semana e nem permite que ninguém do time conceda entrevista nos jogos. É uma atitude legítima da diretoria, mas extremamente antipática e improdutiva, pois o clube vive sob processos de especulação, já que o único órgão oficial do clube, o seu site, muitas vezes está fora do ar ou com um conteúdo jornalístico muito aquém do que sugere um clube com a grandeza do Atlético Paranaense.

O Coritiba faz uma preparação mais a longo prazo, não utiliza o time sub 23 como o Atlético (se bem que usou esse time nas primeiras rodadas e percebeu que teria problemas), mas também não está 100% focado no estadual. Seu elenco é bom, recheado de jogadores com experiência internacional, destaque para o retorno do meia Alex, após 16 anos, o ídolo retornou ao clube que o revelou. Na teoria, o time coxa branca é o de melhor elenco e melhor time, mas precisa mostrar isso em campo, mesmo líder, o time ainda está longe de ser aquele que a torcida espera e que o seu elenco pode produzir.

O Paraná Clube é uma especie de exceção entre os grandes da capital, o tricolor da Vila está com foco direto no campeonato, precisa de um título para reconquistar seus torcedores e a credibilidade enquanto clube grande. A experiência de ter sido rebaixado em 2011 foi muito ruim para o clube e é necessário que o Paraná recupere o seu status de força do futebol paranaense. Mesmo disputando a série B do campeonato nacional e a copa do Brasil, o Paranito joga suas fichas no estadual.

Dos clubes do interior, destaques para o Londrina e para o Operário, o time do norte do Paraná teve um inicio fulminante, mas com o passar das rodadas, começa a ser percebida a fragilidade do Tubarão. Já o Fantasma vem de uma campanha cheia de empates, ainda está invicto, mas precisa mostrar um pouco mais, se quiser almejar alguma coisa neste campeonato. As demais equipes interioranas, são meros participantes, sem muito o que acrescentar ao torneio.

Enfim...aos que gostam, o "Ruralzão" está ai, de vento em popa...

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mises: A ação como ato de liberdade!

Caro amigo, para que você se sinta mais confortável com escreverei a seguir, vou pedir que você se acomode bem antes de dar prosseguimento à leitura desta postagem, caso esteja em um ônibus sentado, coloque seu fone de ouvido para abafar o som externo do ambiente; estando de repouso em casa, sugiro uma xícara saborosa de café ou chá para que se atente ainda mais ao texto; na hipótese de estar no trabalho, sugiro que você faça a leitura somente durante o seu horário de almoço, assim poderá ler com calma e certificará um entendimento claro do que foi lido, pois o que pretendo abordar, requer uma concentração grande no momento da leitura.
Após indicações de amigos e de minha enorme curiosidade em pesquisar e aprender, fui "seduzido" com a ideia de conhecer mais a fundo o trabalho do economista austríaco Ludwig von Mises, para poder entender e analisar com vocês aqui no blog, um pouco do pensamento deste autor que vem sendo "descoberto" mais recentemente no Brasil.
Ludwi…

Mobilidade Urbana, um desafio para os novos gestores!

A mobilidade urbana, isto é, as condições oferecidas pelas cidades para garantir a livre circulação de pessoas entre as suas diferentes áreas, é um dos maiores desafios que os próximos gestores municipais enfrentarão em seus próximos mandatos, não somente em Porto Alegre, mas como na grande parte das cidades brasileiras. O crescente número de veículos individuais promove o inchaço do trânsito, dificultando a locomoção ao longo das áreas das grandes cidades, principalmente nas regiões que concentram a maior parte dos serviços e empregos. Além da qualidade dos serviços de transporte público e concessões públicas, onde discussões inócuas acabam por desviar o foco do real problema que atinge o setor, quase que impossibilitando a movimentação nas grandes cidades.

O Brasil, atualmente, vive um drama a respeito dessa questão. A melhoria da renda da população de classe média e baixa, os incentivos promovidos pelo Governo Federal no meio da década passada para o mercado automobilístico (como a …

Quanto mais governo, menos cidadão!

Eu realmente não gosto de reclamar de governo. Acredito que é uma enorme perda de tempo e desgaste fazer isso.  E também acredito que não se trata de uma atitude inteligente. Estou convencido de que é muito mais proveitoso ignorar toda a bagunça e imoralidade e se concentrar em coisas melhores e mais produtivas. Mas não tenho como ficar quieto quando observo alguns disparates que são cometidos por grupos que foram, durante anos, tutelados pelo Estado e que começam a perceber que o pensamento da maioria da população já não aceita mais isso.  Falo de uma parcela de organizações de sociedade ainda se encontra emocionalmente acorrentada ao Estado, e (a menos que você trabalhe para o governo e tenha um alto salário, ou seja um grande empresário que obtenha subsídios e privilégios protecionistas do governo (em ambos os casos, você se deu bem), creio que é válido demonstrar o quanto é danoso esse relacionamento "promiscuo" com o Estado. Dessa forma, vou escrever sobre algo que não re…