Pular para o conteúdo principal

Recomeço

Terminou a partida de reestreia de Luis Felipe Scolari no comando da seleção brasileira, o jogo aconteceu em Londres, no mítico estádio de Wembley  contra a seleção inglesa. A partida foi vencida pelos donos da casa por 2 x 1, porém o mais importante para mim foi a postura do time em campo. A seleção brasileira voltou a jogar com mais vontade, determinação, sem aquela apatia que apresentava na época de Mano Menezes. Vi um time com vontade de jogar, que foi para cima quando precisou e que pecou sim, na falta de entrosamento de alguns setores e na falta de padrão tático definido (o tempo precisa ser dado para que Felipão monte taticamente o time) e alguns valores individuais que ainda não apresentaram o melhor de seu futebol e que sabemos de suas qualidades.

O time inglês que não tem nada a ver com isso, jogou com uma forte marcação no meio campo, com Gerard jogando muito futebol, confundindo a marcação de meio campo brasileira. Felipão terá que ver isso, com os volantes mais habilidosos que temos, principalmente Paulinho e Ramirez, é necessário que haja uma maior participação dos demais jogadores de meio na marcação, principalmente na saída de bola do adversário (funcionou muito bem no gol de Fred). Oscar e Neymar precisam assumir seus papeis de protagonistas do time e aparecerem mais no jogo, usando seus talentos e suas habilidades, sem "respeitarem" muito a rigidez tática do time.

Quanto ao ataque, se Felipão quiser jogar com um atacante de referência, parece que Fred saiu na frente. Sua atuação hoje mostrou que ele está afim de jogar e Luis Fabiano, seu principal concorrente, não me parece na forma adequada para ser o titular do ataque brasileiro. Com as mesmas características, só consigo ver o jovem atacante colorado Leandro Damião como postulante a essa vaga.

Mas tem muita coisa parai acontecer, temos jogadores que ainda podem brigar por um espaço no time, como Kaká, Pato, Ganso, Diego Cavalieri, Hulk, etcc...Recomeçou a "Era Felipão", vamos ver no que no que vai dar. O certo é que a torcida é grande, depois de tudo que está acontecendo ara o Brasil sediar essa copa do mundo, a última coisa que podemos querer é perder o título em casa.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mises: A ação como ato de liberdade!

Caro amigo, para que você se sinta mais confortável com escreverei a seguir, vou pedir que você se acomode bem antes de dar prosseguimento à leitura desta postagem, caso esteja em um ônibus sentado, coloque seu fone de ouvido para abafar o som externo do ambiente; estando de repouso em casa, sugiro uma xícara saborosa de café ou chá para que se atente ainda mais ao texto; na hipótese de estar no trabalho, sugiro que você faça a leitura somente durante o seu horário de almoço, assim poderá ler com calma e certificará um entendimento claro do que foi lido, pois o que pretendo abordar, requer uma concentração grande no momento da leitura.
Após indicações de amigos e de minha enorme curiosidade em pesquisar e aprender, fui "seduzido" com a ideia de conhecer mais a fundo o trabalho do economista austríaco Ludwig von Mises, para poder entender e analisar com vocês aqui no blog, um pouco do pensamento deste autor que vem sendo "descoberto" mais recentemente no Brasil.
Ludwi…

Mobilidade Urbana, um desafio para os novos gestores!

A mobilidade urbana, isto é, as condições oferecidas pelas cidades para garantir a livre circulação de pessoas entre as suas diferentes áreas, é um dos maiores desafios que os próximos gestores municipais enfrentarão em seus próximos mandatos, não somente em Porto Alegre, mas como na grande parte das cidades brasileiras. O crescente número de veículos individuais promove o inchaço do trânsito, dificultando a locomoção ao longo das áreas das grandes cidades, principalmente nas regiões que concentram a maior parte dos serviços e empregos. Além da qualidade dos serviços de transporte público e concessões públicas, onde discussões inócuas acabam por desviar o foco do real problema que atinge o setor, quase que impossibilitando a movimentação nas grandes cidades.

O Brasil, atualmente, vive um drama a respeito dessa questão. A melhoria da renda da população de classe média e baixa, os incentivos promovidos pelo Governo Federal no meio da década passada para o mercado automobilístico (como a …

Quanto mais governo, menos cidadão!

Eu realmente não gosto de reclamar de governo. Acredito que é uma enorme perda de tempo e desgaste fazer isso.  E também acredito que não se trata de uma atitude inteligente. Estou convencido de que é muito mais proveitoso ignorar toda a bagunça e imoralidade e se concentrar em coisas melhores e mais produtivas. Mas não tenho como ficar quieto quando observo alguns disparates que são cometidos por grupos que foram, durante anos, tutelados pelo Estado e que começam a perceber que o pensamento da maioria da população já não aceita mais isso.  Falo de uma parcela de organizações de sociedade ainda se encontra emocionalmente acorrentada ao Estado, e (a menos que você trabalhe para o governo e tenha um alto salário, ou seja um grande empresário que obtenha subsídios e privilégios protecionistas do governo (em ambos os casos, você se deu bem), creio que é válido demonstrar o quanto é danoso esse relacionamento "promiscuo" com o Estado. Dessa forma, vou escrever sobre algo que não re…